Derrotar o plano antipopular e antioperário do PMDB | Fora Temer, Fora Todos!

Nos próximos dias, o Senado corrupto vai decidir o fim do mandato da Dilma (PT) e Temer assumirá, deixando de ser um presidente interino. Não compactuamos com esse congresso corrupto, que ataca direitos do povo e não tem nenhuma moral para julgar ninguém. Mas também não compactuamos com Dilma e o PT, não fomos e nem somos uma roda auxiliar do PT.

O governo Dilma chega a este melancólico final, porém não por ter traído os interesses do grande capital, a quem bem serviu nos seus anos de mandato. Pelo contrário, antes de sair tentou fazer o ajuste que hoje Temer promete e aprofunda. Não podemos esquecer que o projeto de Reforma da Previdência foi de Dilma.

Os setores mais poderosos da burguesia, ao ver que o PT perdeu o controle do movimento de massas, expresso com toda dramaticidade nas jornadas de junho de 2013, decidiram que ela nem o PT lhes serviam mais e que era preciso tentar um governo mais estável para continuar o ajuste fiscal que já vinha ocorrendo encabeçado por Dilma. Banqueiros, grandes empresários, empreiteiros, que por muitos anos apoiaram os governos petistas e despejaram bilhões de reais nas contas do PT, passaram a apoiar o impeachment quando viram que o PT não tinha mais nenhum apoio popular. Assim como nos circos romanos, quando o imperador decidia que as feras atacassem para comer os coitados gladiadores escravos, botaram o dedo polegar para abaixo e decidiram pôr fim ao governo.

Temer prepara um brutal ajuste contra o povo

Temer, vice de Dilma desde 2010, escolhido por Lula, é agora quem comanda o ajuste fiscal. Ele quer fazer um bom serviço aos capitalistas (a quem sempre serviu o PMDB) e declara todos os dias que após as eleições se aprofundarão as privatizações, os ataques aos direitos trabalhistas, virá a Reforma da Previdência para aumentar a idade de homens e mulheres para se aposentar. Diz ainda que vai tirar mais dinheiro da saúde e da educação (pela DRU passar de 20% a 30% a possibilidade de desvincular verbas que estavam “carimbadas” para esses serviços essenciais ), e que pretende congelar salários dos Servidores Públicos Federais por 20 anos, não convocar mais nenhum concurso público, e assim por diante. Quanto as privatizações, o programa deverá incluir usinas hidrelétricas, leilões de campos de petróleo do pré-sal, privatização da loteria instantânea da Caixa e da futura loteria eletrônica e concessão de aeroportos, empresas de água e saneamento como a CEDAE RJ, além da venda de imóveis e outras empresas de menor porte.

Num país com mais de 11,4 milhões de desempregados (12%), com uma brutal desigualdade entre ricos e pobres, além de uma crise social sem limites, com inflação, e serviços (saúde, educação, transporte, etc.) de péssima qualidade, se esse plano de ajuste passar, significará um sofrimento sem limites para as famílias pobres e trabalhadoras brasileiras.

O problema é que o PMDB, o PSDB e o PT estão decididos a aplicar este brutal ajuste, ainda que possam ter algum atrito entre eles. Todos, sem exceção, onde governam aplicam medidas contra o povo. E neste momento Temer lhes é útil, pois tentará fazer o “trabalho sujo” que nem FHC, nem Lula e muito menos Dilma tiveram condições de fazer.

Investigação e punição dos corruptos envolvidos na Lava-Jato

A operação Lava-Jato desnudou o grau de envolvimento na corrupção dos principais partidos que aplicam o ajuste fiscal. No PMDB, Temer, Cunha, Renan e diversos caciques estão citados nas delações. Apesar das manobras parlamentares para salvar o mandato de Cunha, às quais contam nos bastidores com o apoio de Temer, o rechaço ao bandido ex-presidente da Câmara segue gigantesco. Os tucanos não estão muito melhor. Aécio já foi citado por diversos delatores que dizem que repassava propinas em troca de apoio na Câmara na época do governo FHC. José Serra, recebeu milhões em doações das empreiteiras pela via do “caixa 2”. Os tucanos do governo Alckmin em São Paulo estão envolvidos em nada menos que roubo de merenda escolar e no cartel do metro. O PT por sua vez não fica pra trás. A principal figura do partido, o ex-presidente Lula, está indiciado pela Polícia Federal por corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Isso após termos vários dirigentes petistas já na cadeia.

De nossa parte, defendemos a investigação e punição de todos os políticos e empresários envolvidos em corrupção sem nenhum tipo de seletividade. É preciso mobilizar nas ruas, exigindo que os corruptos além de serem presos, devolvam tudo que roubaram do povo.

O papel do PT na crise

Além de estar envolvido em corrupção, o PT não cansou de falar em “golpe” durante todo o período anterior, mas depois acabou votando em Rodrigo Maia (DEM) para presidente da Câmara. Além disso, realizou coligações com PMDB em mais de 1.400 municípios. Não ficam dúvidas de que estão longe de querer o Fora Temer com bradam por ai. Nas eleições municipais, a ampla maioria dos candidatos ligados ao PT não falam nem mais em “golpe”, o que evidencia que este foi apenas um discurso de ocasião no qual nem os dirigentes do PT acreditam.

Assim, não existe nenhum giro a esquerda por parte da direção do PT, mas um aprofundamento do seu papel de defensor do regime da falsa democracia e do poder econômico.

O vergonhoso papel das direções da CUT, CTB e demais centrais sindicais

Quando um brutal ataque contra a classe trabalhadora brasileira está prestes a acontecer, as centrais demonstraram seu grau de subserviência, burocratização e corrupção. Enchem a boca falando de “golpe”, porém tem se negado a fazer uma luta séria contra Temer. Não à toa o chamado dia de luta do 16/08 foi um fiasco total.
Agora a CUT decidiu fazer um plebiscito para saber se os trabalhadores querem ou não fazer a greve geral! A razão disto é que tem medo de serem escorraçados pelas bases em assembleia e ao defender Dilma e o PT e não os interesses dos trabalhadores ficam impedidos de fazer alguma oposição a Temer minimamente séria.

O povo está farto de tanta corrupção e das políticas econômicas que retiram direitos!

Por isso, exigimos da direção da CUT e de das maiores centrais sindicais que baixem às bases, saiam de seus gabinetes, e discutam com os trabalhadores a NECESSIDADE de lutar, de unificar as greves e as campanhas salariais do segundo semestre, e assim construir uma poderosa greve geral que acabe com Temer, o PMDB e o plano de ajuste!

Junto com isso, nas eleições de 02 de outubro para prefeitos e vereadores, devemos acabar com essa corja que governa, seja do PMDB, tucanos ou petistas. Só o PSOL, que não se misturou com os corruptos e que não está envolvido em denuncias na Lava Jato, merece seu voto.
Assim, frente a crise que atinge os grandes partidos como o PMDB, PT e PSDB, o PSOL encontra-se frente a uma excelente oportunidade: a de colocar a campanha eleitoral a serviço das lutas e da denuncia do ajuste de Temer, luta pelo fora Temer porem sem se misturar com o ex. governismo. No Rio com Freixo, em POA com Luciana, em Belém com Edmilson ou em Natal com Robério, e assim em outros estados, nossas campanhas tem que ser capazes de polarizar com as campanhas dos partidos da ordem, para sermos um verdadeiro polo à serviço das lutas Ldo povo trabalhador. Lute e vote PSOL 50 e a chapa de vereadores do PSOL!


Babá (vereador no Rio de Janeiro e candidato à reeleição) 50100
Corrente Socialista dos Trabalhadores (CST/PSOL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *