UFF|Propostas do Combate – Classista e pela Base

A seguir publicamos as propostas do COMBATE – Classista e pela Base para os trabalhadores da UFF. Boletins distribuídos na assembleia da categoria de 24 de janeiro e no Huap na primeira semana de fevereiro.

 Boa leitura!


 

 

 Unificar as lutas contra o governo Temer e os governadores!

O governo Temer (PMDB/PSDB) segue atacando os trabalhadores e a juventude. Depois da PEC 55, para congelar as verbas sociais por 20 anos, apresentou uma contrarreforma da previdência elevando a idade mínima da aposentadoria para 65 anos e estipulando 49 anos de contribuição para ter o benefício de maneira integral. Uma verdadeira PEC da Morte! Há ainda uma série de outros ataques como a contrarreforma trabalhista e privatizações, juntamente com os governadores e prefeitos. É preciso a mais ampla unidade na luta contra a reforma da previdência e demais medidas, unificando todos os que queiram lutar.

Exigimos calendário unitário de mobilização e greve geral

Infelizmente as direções da CUT, CTB, UNE e MST se negam a unificar as lutas e chamar uma greve geral. Ocorre que essas entidades são comandadas por dirigentes do PT, PCdoB e Consulta Popular, organizações que estiveram nos governos Lula e Dilma e sua única estratégia hoje é a eleição de 2018 candidatando Lula para a presidência, conforme acabaram de votar no encontro da Frente Brasil Popular. Por isso se negaram a chamar a greve geral em meio a greve da educação federal, as ocupações estudantis, a greve dos bancários e as passeatas dos metalúrgicos contra a reforma da previdência. Não podemos confiar nessas direções da CUT, CTB, UNE e MST. Propomos: 1)Exigir das Centrais Sindicais, populares e Estudantis a unificação das lutas em fevereiro e a construção de uma greve geral em março; 2) Unificar as lutas com os servidores estaduais e municipais, apoiar os calendários e reuniões do MUSPE, dando apoio a essas lutas; 3) Fortalecer como eixo prioritário de nossa ação o Fórum de Lutas de Niterói, fruto da resolução da última Assembleia de Greve. Principalmente a campanha unificada contra a reforma da previdência; 4) Nas eleições da delegacia do HUAP, uma chapa unitária da esquerda combativa ( Combate, BASE e Unidos para Lutar); 5) Apoiar as manifestações da UERJ, a greve da policia Civil e dos agentes penitenciários. Calendários: 02/02 ato na Alerj; 07/02 ato nas Barcas de Niterói; 09/02 reunião do fórum de lutas de Niterói;

CONSINTUFF para organizar as lutas e fortalecer a organização da base

 Nosso congresso vai ocorrer num momento importante da situação política e da luta de classes nacional. Por isso deve servir para articular o enfrentamento aos ataques do governo Michel Temer e dos governadores. Estaremos em meio a campanha salarial de 2017 e a batalha pela unificação das categorias federais e do conjunto da classe trabalhadora. Será importante a unidade da esquerda (Combate, BASE, Unidos pra Lutar, Vamos à Luta) para construir uma alternativa, tanto das propostas governamentais de Temer e Aécio, quanto a falsa oposição representada por Lula e Dilma. Um terceiro campo, independente e classista. Proposta que deve orientar nossas resoluções de conjuntura do congresso.

No Plano local será importante avaliar a greve de 2016 os avanços nas 30h e a continuidade da luta por condições de trabalho e assédio moral, insalubridade, Ebserh, sede do Valonguinho, qualificação e valorização da carreira, paridade nas instâncias deliberativas da Uff, etc.

Um segundo objetivo do CONSINTUFF é continuar ampliando a democracia, a transparência e o controle da base sobre os rumos da entidade. Para isso temos que fortalecer amplamente a organização por local de trabalho, fortalecer as delegacias sindicais com estrutura para tocar suas lutas. Além disso estamos propondo mudanças em nosso estatuto, como a garantia de proporcionalidade e limitação das reeleições para a diretoria do sindicato, dentre outras medidas que garantam pluralidade e rotatividade na direção da entidade.

Eleger delegados em Assembleia

E para começar bem essas tarefas vai ser preciso mudar a forma de eleição dos delegados, dessa vez os elegendo em assembleias setoriais na área das delegacias, conforme o estatuto (art 34): Valonguinho; HUAP; Reitoria; Gragoatá; Praia vermelha; Ingá; Santa Rosa; Jurujuba; Aposentados; Campos; Angra; Pádua; Volta Redonda. Será uma grande inovação que permitirá um debate mais politizado e uma melhor representação das necessidades e interesses da base de nossa categoria

 UNIFICAR A ESQUERDA PARA ENFRENTAR OS ATAQUES DO GOVERNO TEMER,  DA EBSERH E DA REITORIA!

 Convidamos todos os trabalhadores e os lutadores de esquerda (BASE, UNIDOS PRA LUTAR e VAMOS À LUTA) para uma reunião aberta de construção de uma chapa unificada para Eleição da Delegacia de Base no dia 03/02, 14h, no refeitório do HUAP. Nesta reunião estaremos construindo o programa da chapa.

POR UMA DELEGACIA DE BASE DOS QUE LUTAM: 1) Contra a reforma da previdência e o ajuste fiscal de Temer e de Pezão; 2) Pela revogação da Ebserh; 3) Por condições dignas de trabalho! Contra os cortes na isalubridade; 4)  Contra as direções pelegas da CUT e CTB que estiveram com Lula e Sidney na implantação da Ebserh; 5) Contra os ataques da Reitoria; 6) Por eleições direta de todas as chefias e pelo direito de eleger a direção do Huap.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *