Vitória: Conselho de Ética rejeita suspensão de Jean Wyllys

Do site do PSOL:

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados rejeitou, nesta quarta-feira (5), a suspensão do deputado Jean Wyllys por 30 dias. A decisão, que venceu por 9 votos a 4, derrubou o processo de caráter intolerante e homofóbico que foi aberto contra Wyllys no ano passado. Em vez de suspender o deputado, o Conselho optou por aplicar uma simples advertência por escrito.

A relatoria foi do deputado Ricardo Izar (PP-SP), que havia recomendado a suspensão do mandato de Wyllys por quatro meses. Ele foi condenado por cuspir na direção de Bolsonaro durante a sessão de admissibilidade do impeachment de Dilma Rousseff, em abril de 2016, após ser covardemente insultado com termos homofóbicos.

Desde então, mensagens de apoio e atos em solidariedade a Wyllys têm se espalhado pelo Brasil, denunciando o caráter de perseguição ao deputado, que é o único LGBT assumido do Congresso. Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que se coloca de vítima da situação, é réu no STF por apologia ao estupro e conhecido por suas posições homofóbicas e machistas, tendo inclusive homenageado um torturador durante essa mesma sessão.

As perseguições a Jean Wyllys têm acontecido desde seu primeiro mandato, que começou em 2011, por parte da mídia e também de outros parlamentares. Até hoje, só uma outra vez um deputado teve suspensão aprovada na Câmara: Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO), que se envolveu com o bicheiro Carlinhos Cachoeira e com crime organizado no estado de Goiás. Jean, por sua vez, teve como único “delito” a defesa de sua integridade.

Em sua página do Facebook, o deputado comemorou a decisão do Conselho de rejeitar o parecer do relator. “Com a força da mobilização social, nosso mandato segue firme na luta pelos direitos das populações mais vulneráveis, os direitos humanos e as liberdades individuais”, escreveu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *