NÃO ÀS AMEAÇAS DE TRUMP!

Partido Socialismo e Liberdade

Cabe ao povo venezuelano tirar o governo de fome, entreguista e repressor de Nicolás Maduro. 
No dia 12 de agosto, o presidente dos Estados Unidos declarou que seu governo não descarta uma intervenção militar em território venezuelano. Anteriormente, junto com a União Europeia, já havia feito ameaças de sanções econômicas contra nosso país.  
Sabemos muito bem que o governo dos EUA, fiel a seu papel de polícia do  mundo, continuará agindo política e diplomaticamente contra as nações oprimidas e não hesitará em intervir militarmente cada vez que sentir ameaçados seus interesses de potência imperialista. Os exemplos de agressões ao Iraque, Afeganistão e países latino-americanos, como Panamá, Granada e República Dominicana, são provas irrefutáveis de que o imperialismo não descarta nenhum tipo de intervenção quando se trata de preservar sua supremacia.
O Partido Socialismo e Liberdade repudia categoricamente esta ameaça imperialista e exige que Donald Trump e todos os governos agrupados na OEA e na ONU se abstenham de intervir nos assuntos internos de nosso país. Nenhum desses governos nem nenhum tipo de intervenção, militar ou negociada, será capaz de resolver os nossos problemas. Ante a possibilidade de uma agressão por parte dos Estados Unidos, faremos um chamado aos povos irmãos, aos trabalhadores e à juventude, aos estudantes e a todos os democratas e revolucionários para que nos tragam sua solidariedade internacionalista a fim de derrotar concretamente todo tipo de intervenção.
Com a mesma convicção com que denunciamos e chamamos a enfrentar o imperialismo norte-americano também denunciamos o caráter hipócrita do governo de Nicolás Maduro, que rasga suas vestes e se faz de vítima diante das declarações de Donald Trump, quando é sabido que seu governo se caracteriza pelo entreguismo e cede o petróleo às multinacionais norte-americanas. Maduro aceitou pactuar em condições leoninas a extração dos valiosos recursos do Arco Mineiro do Orenoco com as empresas canadenses Gold Reserve e Barrick Gold. Aportou recursos econômicos para as comemorações do Dia da Independência dos Estados Unidos através da Citgo, empresa venezuelana sediada em Houston e pertencente à estatal PDVSA. Vendeu bônus da PDVSA à Goldman Sachs com 69% de desconto e priorizou o pagamento da dívida externa às custas do povo venezuelano, que sofre a falta de alimentos e remédios.
A fome, a miséria, a repressão e a crescente tendência ditatorial do governo de Maduro, hoje apoiado numa assembleia nacional constituinte fraudulenta, são problemas que só serão resolvidos pelo povo trabalhador venezuelano e com o aprofundamento da rebelião popular que estamos vivendo há mais de quatro meses. Esta mobilização deve fortalecer-se e ganhar independência diante dos diversos setores de oposição da burguesia tradicional venezuelana representados pela MUD, que alentam as negociações secretas ou a agressão militar contra o nosso povo.
Somente o povo mobilizado de forma independente encontrará o caminho para a saída do governo de Nicolás Maduro e a derrota da fraudulenta Assembleia Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *