Unificar as lutas no dia 10/11! Fora Temer, as reformas e todos os corruptos!

Um presidente ilegítimo, com cerca de 3% de popularidade, líder de um “quadrilhão” de corruptos, não pode seguir governando. Não tem legitimidade para retirar direitos sociais como a CLT, congelar verbas das áreas sociais, aplicar medidas como a legalização do trabalho escravo e destinar metade do orçamento aos banqueiros e ao sistema financeiro via  pagamento da dívida interna e externa. A crise econômica e social se aprofunda, com milhões de desempregados, arrocho salarial e destruição de universidades como a UERJ.

 O acordo nacional esta salvando os corruptos

Um grande acordo nacional, envolvendo a presidência, os deputados, o senado, o PMDB, PSDB, PT, a burocracia sindical e o Supremo Tribunal Federal está salvando os corruptos. O acordo prevê manter Temer na presidência, garantir o mandato de Aécio Neves no senado e propiciar que Lula não seja condenado ou caso seja condenado mantenha os direitos políticos e possa concorrer. Foi esse acordo que fez as Centrais abandonarem a luta unificada do primeiro semestre. A executiva do PT defendeu Aécio e o PCdoB convidou Rodrigo Maia para seu congresso. As senadoras Gleisi Hoffmann, Vanessa Grazziotini (PCdoB) e Jorge Viana (PT) se ausentaram da sessão sobre Aécio Neves, favorecendo o PSDB. Por outro lado, a direção da CUT boicotou as manifestações de 14/09. A CUT, com atos eleitorais em defesa de Lula, e a CTB, com reuniões com a FIESP e Michel Temer, barganhando imposto sindical. A mesma CTB que desmontou a greve nacional dos correios. Isso explica que Aécio tenha sido absolvido, sem nenhum protesto convocado pelas Frente Brasil Popular ou Povo Sem Medo (ligadas ao Lulismo) ou nenhuma nova greve geral tenha sido convocada pelas centrais sindicais. Em retribuição, Michel Temer defende a revisão da possibilidade de prisão após a condenação em segunda instância e por meio da AGU enviou essa posição ao STF, para favorecer a candidatura de Lula. Um absurdo!

Ocupar as ruas e paralisar as categorias!

As denúncias contra o governo Temer continuam gerando insatisfação social. A absolvição dos corruptos e as medidas de ajuste fiscal tem o alto custo político de levar ao fundo do poço as instituições da república, incluído aí o STF. É preciso transformar essa indignação em ação, acreditando apenas nas próprias forças da classe trabalhadora e da juventude. Há categorias que já saíram em greve como os educadores e municipários no RS, os metalúrgicos estão em campanha salarial unificada e apontando o dia 10/11 como um dia nacional de lutas, greves  e paralisações, data de protesto nacional dos servidores e outras categorias. Nesse mesmo dia também se inicia a greve nacional da FASUBRA (Trabalhadores das Universidades). O congresso da CSP-CONLUTAS definiu fortalecer essa data, batalhando para paralisar as categorias, explicando a necessidade de retomar a luta unitária do primeiro semestre já que há condições de “Parar o Brasil” novamente. Por isso, o sindicalismo classista e anti-burocrático deve exigir que as Centrais Sindicais rompam os pactos com os corruptos e transformem o dia 10/11 numa greve geral.

Por uma Frente de Esquerda do PSOL, PSTU e PCB

Ao mesmo tempo que precisamos voltar às ruas, fazer greves e paralisações, precisamos construir uma alternativa política contra Temer, Doria, Bolsonaro, Lula, Ciro, Marina. Propomos que PSOL, PSTU e PCB, juntamente com outras organizações políticas, realizem uma reunião para conformar uma Frente de Esquerda nacional. Um terceiro campo de esquerda e socialista que defenda: a) Fora Temer, Fora Aecio e todos os corruptos do Congresso Nacional! Pelo Fim do Senado!; b) Pela Revogação da reforma trabalhista, da Lei de Terceirização e todas as medidas de ajuste contra os trabalhadores! Contra a reforma da previdência e as privatizações!; c) Cadeia e confisco dos bens dos políticos e empresários corruptos! Estatização das empresas mafiosas envolvidas na lava Jato, como a Odebrecht e JBS; d) Verba para emprego, salários, saúde e educação, não para a dívida externa e interna.

Nas redes: o poderoso ladrão, salvo pela máfia no Senado

A página da CST-PSOL no Facebook realizou campanha contra Aécio Neves no dia da votação no Senado sobre a perda de mandato do senador tucano. Ajudado pelo STF, Aécio foi reconduzido ao cargo pela maioria dos seus pares mesmo sendo gravado negociando propina e falando em assassinato. A publicação fazendo a denuncia e relacionando Aécio ao mafioso Don Corleone do filme poderoso chefão esteve entre as mais divulgadas publicações políticas do Facebook na semana, com cerca de 21 mil compartilhamentos, 1800 curtidas, 800 comentários  e mais de 1 milhão de pessoas alcançadas pela publicação. O total de curtidas nos compartilhamentos alcança mais de 33 mil pessoas. Um sucesso que mostra a indignação do povo brasileiro também contra a corrupção, a impunidade legalizada no Senado e contra o principal líder tucano.

24/10/2017

Executivo Nacional da CST/PSOL

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *