Dia 22: Tomar as ruas contra a Reforma da Previdência! Rumo à Greve Geral!

Bolsonaro quer destruir nossa aposentadoria e entregá-la pros banqueiros. A proposta enviada pelo Presidente ao Congresso nacional sacrifica os trabalhadores e consegue ser pior do que a que propôs Temer em 2017 e que acabou derrotada pela Greve Geral. Bolsonaro e Paulo Guedes querem tornar praticamente impossível a possibilidade de nos aposentarmos com salário integral. Querem ainda aumentar a idade mínima para a aposentadoria dos homens para os 65 anos e das mulheres para os 62. Retira o acesso ao BPC de um salário mínimo que as pessoas mais pobres tem hoje, e diminui de R$998,00 para R$400,00 este direito, o que praticamente os impossibilita de viver. Além disso, acaba com a aposentadoria especial por periculosidade destruindo esse direito daqueles trabalhadores que se arriscam no dia a dia de sua profissão.

A Reforma visa entregar o dinheiro que contribuímos para garantir nossa aposentaria aos banqueiros, através do regime de capitalização. Quem vai gerenciar todo o dinheiro são os banqueiros amigos do governo. No Chile, onde isso foi implementado há cerca de 30 anos, mais de 80% dos aposentados não recebe nem um salário mínimo por mês, pois o governo passa toda a grana pro bolso dos banqueiros.

Temos visto que são pouco mais de dois meses de governo e os ataques contra os trabalhadores começaram com força. Bolsonaro entregou 12 aeroportos através de uma privatização a preço de banana. Além disso, para implementar a Reforma, Bolsonaro atacou os sindicatos, através da MP 873/2019, que dificulta muito o financiamento das entidades sindicais e visa que essas não consigam nem fazer materiais que denunciem a destruição das aposentadorias.

É preciso lutar contra esses abusos. No dia 8 de março as mulheres realizaram fortes atos em todo país mostrando o caminho que temos que percorrer para defender nossos direitos e derrotar mais esses ataques. O 8M mobilizou milhares de pessoas, com atos chegando a dezenas de milhares em SP e no RJ, e com grande expressão em Porto Alegre, BH, Belém, Campinas e DF. Dentre as principais pautas defendidas, além da luta contra Bolsonaro e a Reforma da Previdência, também constava a luta por justiça para Marielle! As manifestações deram um recado importante para o Governo Bolsonaro: as mulheres não darão trégua ao seu governo.No dia 22 temos que paralisar as categorias e realizar fortes atos, e como dizem as maiores centrais seguir “rumo a greve geral”. É necessário realizar uma nova assembleia nacional da classe trabalhadora e marcar a data de uma greve geral.

O “toma lá, dá cá” e a corrupção do governo Bolsonaro

Bolsonaro já garantiu aos parlamentares mais de R$1 bilhão em emendas para que eles votem na Reforma. Está negociando cargos com dezenas de partidos para comprar o apoio deles. Além disso, quer uma anistia para o crime de caixa 2, absolvendo centenas de deputados e senadores corruptos. Ou seja, velha política está mais viva do que nunca no atual governo.

Além disso, é um governo atolado em corrupção. O filho de Bolsonaro, Flávio, até hoje não explicou o repasse dos salários dos seus assessores através do operador de corrupção Queiroz. O partido do presidente está comprovadamente envolvido em corrupção pesada através das candidaturas “laranjas”, que derrubaram até um ministro amigo de Bolsonaro. São diversos ministros e assessores envolvidos em corrupção. O articulador do governo no Congresso, Onix Lorenzoni, confessou crime de caixa 2. Não podemos acreditar que com filho corrupto, assessor corrupto, amigo corrupto e ministro corrupto o próprio presidente “não sabe de nada”. Por isso defendemos a investigação profunda dos esquemas de corrupção do governo e da família Bolsonaro, além da prisão e confisco dos bens de todos os corruptos.

21/03/2019

CST/PSOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *