Metroviários denunciam censura do Metrô para o uso de coletes contra Reforma da Previdência

Do site da CSP-CONLUTAS:

Os metroviários de São Paulo estão impulsionando a Campanha Contra a Reforma da Previdência vestindo coletes durante o expediente em repúdio ao projeto do governo Bolsonaro. A categoria está em campanha salarial e é comum, neste período, fazerem o uso desse adereço durante o trabalho.

A empresa, no entanto, parece estar dificultando o direito de protesto desses trabalhadores. Segundo denuncia o Sindicato dos Metroviários de São Paulo, o Metrô resolveu inibir os metroviários a usarem os coletes, com práticas de assédio. “Os metroviários repudiam a atitude antissindical e de assédio da chefia que ameaça punir os funcionários”, relatou o Sindicato, em nota divulgada em seu site.

O Sindicato está orientando os trabalhadores a manterem a mobilização usando os coletes e adesivos para garantir suas reivindicações. Também orienta os metroviários a seguirem com a mobilização da Campanha Salarial, em defesa da aposentadoria e contra conduta antissindical da empresa.

A categoria está em estado de greve e nesta quinta-feira (25), mais uma assembleia vai discutir os rumos da campanha.

Manifestação contra a Reforma da Previdência

Como parte das ações da Campanha Salarial e da luta contra a Reforma da Previdência, os trabalhadores realizaram nesta quinta-feira (25) um corpo a corpo com a população, com a distribuição do abaixo-assinado contra o projeto de Bolsonaro. Foram coletadas mais de 3 mil assinaturas na estação Palmeiras Barra-Funda, linha 3, vermelha, zona oeste da cidade.

Em poucos minutos uma fila de trabalhadores se formou para assinar o documento, que será enviado aos parlamentares.  A enfermeira Cíntia de Souza não é a favor da reforma. “Se for aprovada, essa desgraça vai jogar milhões na miséria. Ela não corta onde teria que cortar, que é a aposentadoria vitalícia de filhos de militares e a aposentadoria de políticos e juízes. Não vão mexer onde deve. É um ataque contra a população mais pobre”, frisou.

A CSP-Conlutas apoia a luta dos metroviários contra a Reforma da Previdência, assim como sua Campanha Salarial repudia as práticas antissindicais  do Metrô.

Com informações e foto da Rede Brasil Atual

 

Leia: Manifesto assinado por Parlamentares do PSOL e dirigentes do PSTU em apoio à luta dos Metroviários de São Paulo

Em defesa do direito de manifestação dos Metroviários de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *