Dia internacional de luta contra a LGBTfobia

Hoje é dia Internacional de Luta contra a Homofobia e a Transfobia, data em que, em 1990, a OMS retirou a homossexualidade do sua Classificação Internacional de Doenças. Assim, a data é um marco na luta contra a despatologização das sexualidades, pelo fim da opressão e da violência contra pessoas LGBTs e em defesa dos direitos humanos.
Esta é uma luta muito importante até hoje. Ainda convivemos com números alarmantes de violência contra pessoas LGBTs. Segundo dados do GGB, somos o país que mais mata pessoas trans e travestis e, a cada 19 horas, um LGBT é assassinado no Brasil. Também crescem o número de suicídio entre jovens LGBTs, por conta da discriminação e da violência, principalmente nas relações familiares. Além de sermos grande parte dos desempregados ou de ocuparmos postos de trabalho mais precarizados e boa parte da população evadir das escolas em decorrência do preconceito.
Em meio a essa dura realidade, o governo Bolsonaro reforça o preconceito contra essa população, que foi retirada das diretrizes da pasta de direitos humanos. O presidente já chegou a afirmar que é “histórico com orgulho” e a Ministra Damares já é conhecida pelas sua postura preconceituosa, já chegando a declarar que sexo entre mulheres é uma aberração e reforçando estereótipos de gênero que oprimem LGBTs cotidianamente. Impedindo o avanço no atendimento às LGBTs por políticas públicas de saúde e educação, sem aprofundar a capacitação de profissionais e a oferta de acesso.
É preciso enfrentar essa realidade nas ruas! As LGBTs estiveram a frente dos atos pelo ELE Não no ano passado junto às mulheres. Precisamos fortalecer nossa luta nas ruas contra os ataques conservadores do governo. Junto aos milhares que saíram às ruas defendendo o direito a uma educação com qualidade, crítica e que respeite a diversidade, que respeite a inclusão de gênero e sexualidade como transversalidade no ensino. Por isso convocamos todas LGBTs a ocupar as ruas no dia 30 de Maio rumo a greve geral de 14 de junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *