Venezuela: Repudiamos as demissões de ativistas da C-cura na PDVSA 

Pela impressa da C-cura (Corrente Classista Unitária Revolucionária e Autônoma)

A gerencia da PDVSA em Zulia iniciou uma feroz perseguição contra o classismo, e em particular contra a C-cura. Já são vários trabalhadores demitidos sem qualquer justificativa. A causa: lutar pelos direitos dos trabalhadores e denunciar o desastre em que esta metida nossa principal industria.

Danny Ferrebuz, delegado de Prevenção e operador de Planta desidratadora em Petroboscam; Ramon Lopez, operador de produção, despedido apos 25 anos de serviços na PDVSA, também de Petroboscan; Hector Berti de Tia Juana, com 25 anos de serviços em Hidrografia; são todos ativistas da nossa corrente sindical C-cura liderada por José Bodas, atual secretario geral da FUTPV (Federação dos Petroleiros da Venezuela).

Também foram demitidos Jhonny Jimenez, Kelli Orcial, em Maracaibo, enquanto que Jairo Sibada de La Salina e Greco Torres, capitão de lanchas e rebocadores de transportes aquáticos de Tia Juana, foram aposentados de forma compulsória, de maneira arbitraria e prematura e praticamente obrigados a sair da empresa.

Todas essas demissões e arbitrariedades são um ataque contra C-cura e contra todos os ativistas que exigem os direitos dos trabalhadores em Zulia. É uma ofensiva da gerencia da PDVSA e do governo contra o sindicalismo classista e combativo na PDVSA de Zulia” afirmou Jose Bodas.

E acrescentou “Todas essas ações contra os trabalhadores são realizadas com a cumplicidade de Will Rangel e a burocracia ‘vermelha, vermelhinha’ da FUTPV. Vamos tomar as ações legais e de mobilização pertinentes, para exigir a imediata reiteração de todos esses companheiros, demitidos arbitrariamente“. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *