Setor de transporte de SP e entidades nacionais se reúnem para preparar Greve Geral de 14/6

Do site da CSP-CONLUTAS:

Na tarde desta segunda-feira (27), o setor de transportes realizou uma plenária no Sindicato dos Metroviários de SP, para discutir de que forma participará da Greve Geral de 14 de junho.

 

Tudo indica que, a depender dos metroviários, rodoviários, ferroviários e outros setores, teremos uma forte paralisação do setor contra a Reforma da Previdência, o desemprego e em defesa da Educação.

 

 

“A reunião do setor de transportes ocorrida no Sindicato dos Metroviários nesta segunda-feira foi mais um passo importante rumo à Greve Geral para derrotar a reforma da Previdência. O encontro apontou diversas iniciativas preparatórias para fazermos um grande dia de luta”, destacou um dos coordenadores gerais do Sindicato dos Metroviários de SP Raimundo Cordeiro.

 

Entre as propostas aprovadas está o fortalecimento da plenária nacional do setor no dia 5 de junho, que acontecerá em Brasília para organizar a greve; a intensificação da coleta de abaixo-assinados contra a reforma da Previdência, conforme aprovado pelas Centrais Sindicais para a semana de 27 a 31/06 em todo o país e também serão distribuídas cartas à população nas estações de metrô e trem, convocando a população a participar da Greve Geral.

 

O setor do transporte também participará das manifestações da próxima quinta-feira (30) e no dia 10 de junho haverá uma entrevista coletiva do setor, das centrais sindicais e de movimentos sociais, em São Paulo, às 10h.

 

 

Segundo o dirigente da CSP-Conlutas Atnágoras Lopes, a plenária indica a força que cada vez mais vai tomando a construção da Greve Geral. “Foi inegável o contágio da força das mobilizações do dia 15 aqui no setor de transporte. Todos defendem fortalecer as mobilizações do dia 30 a serviço da Greve Geral”, comentou.

 

Além do próprio Sindicato dos Metroviários SP, estavam na reunião os rodoviários (SP, Guarulhos, Santos, Sorocaba e ABC), ferroviários Central do Brasil-SP, trabalhadores em transporte de aplicativos de SP, Sindicato dos Metalúrgicos (SP), Sindicato dos Trabalhadores da Fiscalização dos Transportes (SP), Sindicato de Trabalhadores em Transporte de Carga (SP), Federação dos Trabalhadores dos Transportes (SP), Federação Nacional dos Metroviários, Confederação Nacional dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários, Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte Terrestre e Logística, assim como as Centrais Sindicais CSP-Conlutas, CTB, Força Sindical, CUT, Intersindical, CGTB e NCST.

 

Raimundo alertou sobre a campanha do governo Bolsonaro de defesa da Reforma da Previdência e a importância de barrar esse projeto.“O governo gasta muito dinheiro para disseminar várias fake news de que a reforma seria a saída para a crise, assim como diziam que a reforma trabalhista geraria mais empregos e o que aconteceu foi justamente o contrário”, disse.

 

 

“Para nós, da CSP-Conlutas, foi muito bom ver a unificação das pautas se realizando. O que se avizinha é a hipótese de uma grande Greve Geral Contra a Reforma da Previdência, contra os cortes na Educação e em defesa do emprego. Há muito ainda a fazermos até lá, mas esta plenária fortalece muito nossa luta contra Bolsonaro”, frisou Atnágoras que esteve presente na atividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *