Calourada Nacional do Vamos à luta: “Nosso futuro não cabe nesse governo”

Ocupar as ruas contra a reforma da previdência, o Future-se e os cortes na educação!

Com Eduardo Protázio – Diretor da UNE – Oposição de Esquerda.

A situação da educação pública no país é cada vez mais grave. O nível de precarização do ensino público é tanto que as universidades estão com déficits bilionários, sem dinheiro ao menos para pagar a conta de luz e correndo o risco de fechar as portas por falta de verba. Na UFF há falta de iluminação nos campi, falta de bolsas, uma moradia estudantil bastante precária. Por conta da falta de políticas de permanência estudantil, muitos estudantes não conseguem se manter na universidade. É cada vez mais difícil se manter na universidade, ainda mais com a galopante taxa de desemprego que afeta ainda mais a juventude

Isso é reflexo dos ataques do governo Bolsonaro e seu ministro da educação Abraham Weintraub à educação. Elegeram o ensino público e o pensamento crítico como inimigos número um, e aprofundaram a crise nas universidades com cortes que já passam de 6 bilhões de reais.

Agora apresentam o projeto “Future-se” para as universidades, Institutos Federais e CEFETs, que na verdade trata-se de uma tentativa de privatizar os institutos federais de educação.A proposta é que os IFES sejam geridos por organizações sociais – como foi feito no SUS e o resultado é a piora no atendimento, filas gigantescas e escândalos de corrupção – abrindo a porta para cobrança de mensalidade. Além disso, o Future-se desobriga a União de destinar recursos e os departamentos teriam que competir entre si pela verba no setor privado e no mercado financeiro. Ou seja, na prática seria o fim da autonomia universitária, da liberdade e imparcialidade de pesquisa e de projetos de extensão voltados para atender a população – Os banqueiros e os parasitas do mercado financeiro que escolheriam o que seria estudado.

Bolsonaro tem um projeto ultra-conservador e autoritário de retirada de direitos. Quer jogar a conta da crise econômica nas costas da juventude e dos trabalhadores, nos fazendo trabalhar até morrer com uma criminosa reforma da previdência e privatizando a educação com o projeto “Future-se”. Além disso, ataca nossos direitos democráticos, de livre organização e a liberdade de imprensa. Bolsonaro sabe que precisa calar o movimento estudantil porque estamos na linha de frente da luta contra esse governo, em defesa da educação. É nossa tarefa derrotar todo o ajuste fiscal e o autoritarismo de Bolsonaro, Mourão e Maia e o projeto anti-povo, de destruição do meio ambiente, xenofóbico, misógino, racista e LGBTfóbico que querem aplicar.

Por isso, queremos debater a continuidade da luta para derrotar Bolsonaro e Weintraub! Vem como o Vamos à Luta ocupar as ruas e participar da nossa calourada nacional, com a presença de Eduardo Protázio, Diretor da UNE pela Oposição de Esquerda!

Se liga no calendário!

19/08 – MG – PUC/Corel

20/8 – MG – UFMG

21/8 – RJ : UNIRIO- Campus Urca

22/8 – RJ : UFF – ICHF

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *