Semana Internacional de Ação Climática | Greve Global pelas Mudanças Climáticas

Um relatório da ONU preparado por 250 cientistas de 70 países prevê uma catástrofe ambiental até 2050, onde o planeta ficará inabitável para a espécie humana. Este relatório põe por terra os acordos assinados por 195 países para reduzir as emissões de CO2 no Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas de 2015. Acordo do qual se retiraram os Estados Unidos, um dos principais países que geram a maior emissão de CO2, com a ideia de Donald Trump de que a mudança climática é “um conto chinês”.

Este relatório mostra que a catástrofe esperada será uma consequência da manutenção e aprofundamento da lógica da produção capitalista, sustentada por grandes multinacionais e governos capitalistas, para gerar super lucros à custa da depredação da natureza e da superexploração de trabalhadoras e trabalhadores. A queima de combustíveis fósseis, a principal fonte de emissão de CO2; o desmatamento e a queima das grandes florestas e pulmões do mundo para privilegiar o cultivo destinado a biocombustíveis, como a soja; a exploração das mega mineradoras para a extração de minerais, que poluem solos e água; e produção em massa com excedentes inúteis que geram resíduos que acabam nos mares e oceanos. É o sistema capitalista-imperialista que está nos levando a uma catástrofe ambiental irreversível, se esse curso não for modificado.

Apesar dos acordos firmados para reverter essa situação, nada foi feito para alcançar o objetivo. Além disso, grandes corporações transnacionais e potências imperialistas continuam com a destruição. Em 2018, a emissão de gás que gera o efeito estufa, em vez de ser reduzida, aumentou 22,2%.

Por isso, de 20 a 27 de setembro, está sendo convocada a jornada internacional de ação pelo clima. Esta jornada já ocorre na Europa, depois que a jovem ativista sueca de 16 anos, Greta Thunberg, chamou a grandes greves estudantis por mudanças climáticas, às quais milhares de jovens de diferentes cidades se auto convocavam toda sexta-feira. Em todo o mundo, mobilizações, concentrações e atividades diferentes são preparadas durante a semana, para culminar no dia 27 de setembro com uma grande greve global pelas mudanças climáticas.

Nós da Unidade Internacional de Trabalhadoras e Trabalhadores – Quarta Internacional (UIT-QI), nos somamos a semana de ações, greves e mobilizações afirmando que o responsável pelo desastre climático é o próprio sistema capitalista imperialista. Que a única maneira possível de parar essa catástrofe é lutar para acabar com o capitalismo impondo o governo dos trabalhadores. Governos que, expropriando os grandes capitalistas sem indenização, protegendo trabalhadoras e trabalhadores, planifiquem a produção mineira, agrícola e industrial a serviço da grande maioria dos trabalhadores e com cuidado com a natureza.

Nós da UIT-CI, chamamos a mobilização durante as jornadas de 20 a 27 de setembro, na modalidade de cada país. Fazemos isso apoiando as lutas contra a poluição da água, do ar, da terra e do mar; contra a destruição de florestas e extração indiscriminada de madeira; contra a depredação da natureza pelas multinacionais e seu saque imperialista; pela proibição da mineração a céu aberto e pela desapropriação de multinacionais de mineração, petróleo e gás, de agro químicos (Monsanto-Bayer e outros).

Unidade Internacional de Trabalhadores e Trabalhadores – Quarta Internacional (UIT-QI)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *