MÉXICO / O primeiro relatório da AMLO: a economia está se deteriorando seriamente, crescem a violência, as demissões, os cortes e a desigualdade.

Perto da recessão, a economia mexicana “crescerá” de acordo com dados do Banco do México menos de 1%, apenas 0,8%, a menor dos últimos anos e de acordo com especialistas, isso é um claro sintoma do início de uma recessão. E essa situação tem sido influenciada pelo curso da economia mundial, que está perigosamente perto de uma nova queda na economia capitalista, sem que a profunda crise de 2008 tenha sido resolvida.

No entanto, o presidente López Obrador disse que os dados não são precisos e que o governo tem outros números que mostram que o país está crescendo. E ele foi apoiado por nada menos que o principal empresário do país, o bilionário, o protótipo da desigualdade econômica, Carlos Slim Helú, que disse que acompanharia e apoiaria o “crescimento”, desconsiderando os números. Mas a realidade é muito teimosa, mais do que esses dois personagens.

Slim Helú colocará sua enorme fortuna a serviço do país? Claro que não! Ele continuará perto de López Obrador para seguir aumentando sua fortuna, aproveitando os negócios suculentos com seu governo, mesmo às custas da grande maioria da população, que pagará a recessão, com novos cortes nos serviços públicos, como a única coisa que cresceu Na proposta de orçamento, eles são os programas clientes da AMLO e da Guarda Nacional, é claro.

Enquanto a violência continua desencadeada como nunca antes, com assassinatos em massa como os de Veracruz, Tamaulipas e Guerrero, feminicídios infindáveis, assaltos e seqüestros. Os cartéis continuam em sua luta incontrolável para tomar o território, enquanto a Guarda Nacional continua reprimindo vergonhosamente os imigrantes. Não houve uma única ação de verdadeira importância contra o crime organizado.

E, embora na questão das promessas anticorrupção, Rosario Robles (politico mexicano)  e seus colaboradores mais próximos tenham sido presos e encarcerados, assim como o advogado da elite política e empresarial Juan Collado, tudo parece indicar que eles são os bodes expiatórios, porque ainda estão livres os símbolos nacionais da corrupção: Enrique Peña Nieto, José Antonio Meade, Emilio Lozoya, Romero Deschamps, Elba Esther Gordillo e uma longa lista de oficiais e líderes corruptos, incluindo Manuel Bartlet, o dinossauro reciclado do PRI defendido pelo lopezobradorismo.

Enquanto isso, a classe trabalhadora sofre os estragos da crise que se aprofundará, com inúmeras demissões, cortes e efeitos a médio prazo de uma Reforma Trabalhista, que levará à dispersão dos esforços sindicais da classe trabalhadora condenando todo sindicalismo, independentemente de os sindicatos serem burocráticos ou não, por exemplo, elimina a cota obrigatória do sindicato, um golpe para a sindicalização verdadeiramente genuína e democrática. De fato, os chefes apoiados pela reforma já dirigem o modelo gringo da ausência de sindicatos no local de trabalho. Portanto, essa ridícula reforma, apresentada como “a mais avançada da história do México”, poderia realmente ser um duro golpe para a sindicalização e a genuína negociação coletiva, agravada pela persistência de empresas terceirizadas e pelas formas de recrutamento que consagram a instabilidade no emprego ou a recompensa por demissão ilegal, cancelando de fato o pagamento de salários reduzidos, todos esses direitos perdidos com a reforma de 2012 durante o governo de Calderón.

E, finalmente, os megaprojetos promovidos e apoiados pelo atual governo podem aprofundar o tremendo impacto nas comunidades e sua defesa de seu território, água e ambiente ecológico. É muito significativo que a AMLO tenha reduzido substancialmente o orçamento nessa área e em outras muito importantes. A classe trabalhadora somente alcançará sua libertação com suas próprias forças, independentemente de haver um governo supostamente “progressista” no México, o que pouco-a-pouco deixa claro para quem governa.

Editorial El Socialista, jornal da seção mexicana da UIT-QI, Movimiento Al Socialismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *