MULHERES : Com  a despenalização do aborto em Oaxaca, nossa reivindicação é mais forte pela Legalização do aborto em todo o México!

 

Mulheres do Moviemento Al socialismo AS- UIT-QI

A Onda verde ecoou em Oaxaca! A luta pelo nosso direito de decidir sobre nossos corpos obteve uma vitória importante ao conquistar a despenalização do aborto até a 12ª semana de gestação nesse belo estado, que se converteu na segunda entidade¹ a fazê-lo, depois da Cidade do México, onde o Aborto é legalizado há 12 anos.

A despenalização é, sem dúvidas, um triunfo do movimento de mulheres que luta há décadas pela legalização do aborto, mas que no ano passado adquiriu mais força  com a Onda Verde que surgiu na Argentina e se estendeu por toda a América Latina.  O movimento de mulheres tem sido constante em sua reivindicação e exigência frente ao novo governo de Lopez Obrador²: Queremos a legalização do aborto em todo o país

É o movimento de mulheres que tem conseguido pautar o tema do aborto no debate público e pressionado as bancadas partidárias na Câmara a se pronunciar a respeito. O que tem evidenciado que nenhum partido é realmente consequente em impulsionar esse direito de maneira plena, pois enquanto o  MORENA [ o partido de Lopez Obrador] aprovou a despenalização em Oaxaca, há alguns meses  criminalizou o aborto no estado de Nuevo León.  Além disso, a aliança de MORENA com o Partido Encuentro Social (PES) – partido de corte evangélico, conservador e opositor ao aborto – é uma incoerência que levou o partido a frear o processo de legalização a nível federal. Por isso afirmamos e reivindicamos que  a despenalização em Oaxaca é um triunfo do movimento de mulheres, da onda verde que tomou as ruas aos milhares gritando outra vez “será Ley, el aborto será ley”.

A despenalização do aborto é um avanço rumo a legalização, que é o que aspiramos para exercer de maneira ampla e plena nosso direito de decidir, pois o que queremos é que o Estado garanta que toda mulher possa abortar de maneira segura, imediata, gratuita e realizado em hospitais e clínicas públicas, com capacitação, com perspectiva de gênero, dos profissionais de saúde para cumprir com este direito como diz a consigna: “Aborto legal en el Hospital

É fundamental que Governo proporcione os pressupostos suficientes para que nós mulheres tenhamos acesso a um sistema de saúde integral que não somente garanta a realização de aborto em condições dignas, mas também contraceptivos a toda a população e educação sexual sem estereótipos sexistas ou violentos, desde a educação básica. Para isso defendemos que sejam utilizados recursos que atualmente vão para o pagamento da dívida externa, dinheiro que pode ser usado em benefício da saúde e dos direitos das mulheres ao invés de ser destinado aos bancos e organismos financeiro que só beneficiam os grandes capitalistas.

Nossa luta não para aqui. Ao contrário, adquire maior força, pois a realidade continua sendo cruel para as mulheres, principalmente para as trabalhadoras, jovens, indígenas e imigrantes. No México, os abortos clandestinos e insalubres se converteram na terceira maior causa de morte materna e atualmente há mais de 700 mulheres mexicanas presas por terem abortado, cumprindo penas de até 30 anos de prisão, acusadas de “homicídio em razão de parentesco”, apesar de que muitas vezes seus abortos foram espontâneos por falta de atenção médica adequada, por enfermidades relacionadas à pobreza ou por suas jornadas de trabalho extenuantes. As que morrem ou são presas por aborto, são as mulheres pobres.

Convocamos o movimento de mulheres a organizar-se e mobilizar-se de maneira independente pela Legalização em seus estados e a realizar uma campanha nacional pela legalização do aborto, que contemplem jornadas de informação,  debates públicos e planos de ação unitários porque seremos nós mulheres quem conquistaremos a legalização em todo o país. No próximo dia 28 de setembro, com o tema de Grito Global pelo aborto legal seremos milhões de mulheres em todo o mundo marchando e levantando a voz contra a violência patriarcal e defendendo nossos direitos nas ruas.

Aborto Legal em todo o México!

Educação Sexual para decidir,  contraceptivos para não abortar e aborto legal para não morrer!

Liberdade imediata de todas as presas por abortar!

MAS – Mujeres (Movimiento al Socialismo)  

¹ O México é um país dividido em 31 estados e a capital Cidade do México , também conhecidos como entidades federativas.

²Andres Manoel Lopez Obrador é presidente do México eleito em 2018 , pelo MORENA – movimento da Regeneração Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *