“Nenhum sistema vai nos calar”

Poster da Quatro Cinco Um com Fernanda Montenegro. Foto: Mariana Maltoni

Fernanda Montenegro completou 90 anos e 50 de carreira. Recentemente lançou uma autobiografia contando as dificuldades dos avós imigrantes, pai operário, sua vivência na zona norte do RJ e sua atuação no teatro, TV e cinema. Várias homenagens estão ocorrendo. Uma delas foi um ensaio fotográfico para a revista Quatro Cinco Um. Na publicação, Fernanda é retratada como uma bruxa prestes a ser queimada em uma fogueira com livros, tal qual ocorria na idade média, fazendo uma referência aos recentes casos de censura e a “caça às bruxas” praticada por Bolsonaro, na FUNARTE, ANCINE e editais da Caixa Econômica. Doria e Crivela também tentaram censurar apostilas (SP) e revistas (RJ).

Fernanda Montenegro. Foto: Mariana Maltoni/Quatro Cinco Um

As fotos motivaram ataques do atual diretor da FUNARTE, Roberto Alvim, chamando a atriz de “mentirosa” e “sórdida”. Dentre outros absurdos desqualificou a peça “Viver sem tempos Mortos”, baseada na obra de Simone Beauvoir, com a qual Fernanda Montenegro encerrou sua carreira (com apresentações na periferia de São João de Meriti). No último dia 06, no teatro Municipal de SP, Fernanda Montenegro declarou “um livro virou um ato de resistência” e “sistema nenhum vai nos calar”. De mãos dadas com José Celso Martinez, um dos maiores diretores de teatro nacional, arrematou “estamos aqui reunidos em torno da liberdade de expressão”. Contra o autoritarismo de Bolsonaro estamos bem acompanhados.

Parabéns a Fernanda Montenegro. Vida longa aos artistas brasileiros!

Desenho de Luciano Schmitz, diretor criativo do ensaio com Fernanda Montenegro. / Revista Quatro cinco um


Matéria e ensaio completo da Quatro Cinco Um com Fernanda Montenegro: https://www.quatrocincoum.com.br/br/noticias/t/bruxa-em-tres-atos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *