Pirralhos botam medo nos homens do poder

Texto Juventude Vamos à Luta

Arte: Randy Lobato / @juventudevamosaluta

O presidente Bolsonaro atacou a ativista ambiental Greta Thunberg nesta terça-feira (10), após a jovem cobrar respostas sobre a morte de dois indígenas Guajajaras em um atentado no sábado dia 7. Os indígenas foram mortos por defender a floresta. Não é a primeira vez que Greta é alvo da extrema-direita. A ativista foi chamada de “Pirralha” por Bolsonaro e também ironizada por Donald Trump, presidentes que procuram deslegitimar a luta ambiental para melhor entregar nossos recursos naturais para as megaempresas exploradoras.

Com apenas 16 anos, Greta se tornou símbolo global da luta pelo meio-ambiente liderando uma greve escolar e depois, este ano, uma greve mundial pelo clima com mais de 4 milhões de participantes. A juventude tem tomado as ruas cobrando dos governos medidas concretas contra a catástrofe climática. Somos milhões de “pirralhos” em todo mundo, fazendo tremer os governos que retiram nossos direitos e destroem nosso futuro.

Os governos e os capitalistas destroem o meio ambiente

Caminhamos para uma catástrofe ambiental, consequência do modelo de produção capitalista, aplicado pelas grandes empresas e apoiado pelos governos. Os mesmos que nos superexploram degradam a natureza em busca do lucro. Com o desmatamento para privilegiar os latifundiários, a produção agropecuária desenfreada, a poluição da água e do solo pelas mineradoras e a queima dos combustíveis fósseis.

Empresas e governos buscam aumentar todo ano suas taxas de lucro. Para isso, cortam empregos e salários e não se responsabilizam pelo custo da poluição ambiental – uma conta que quem paga é a biodiversidade, as florestas e os povos originários.

Nesse sentido, a proposta de Greta é cobrar os poluidores, o que é importante, mas não é o bastante. Nunca atingiremos uma sociedade verdadeiramente sustentável com um sistema motivado por mais e mais lucro no bolso de poucos, como é o capitalismo.

Aqui no Brasil, Bolsonaro tem um projeto de ajuste fiscal, com destruição dos direitos sociais e do meio ambiente. Isso só serve ao agronegócio que impulsiona a queimada da Amazônia, aos garimpeiros que poluem nossos rios, e aos banqueiros que financiam tudo isso. O presidente não moveu nenhum esforço para punir a Vale após o crime de Brumadinho. Além disso, o governo tem uma agenda autoritária, de calar a imprensa, os movimentos sociais e a juventude que está na linha de frente da mobilização contra seu governo desde o #EleNão. Já falou de acabar com o ativismo e aplicar um novo AI-5. Por isso, tenta desqualificar Greta e os jovens que estão lutando contra a catástrofe climática.

No Brasil, precisamos estar juntos com os povos da floresta, indígenas, quilombolas, ribeirinhos e ativistas para defender o meio ambiente. O projeto de exploração e autoritarismo de Bolsonaro, seus ministros e da extrema-direita só será derrotado com luta e coragem.


Leia também: Tem sangue indígena nas mãos do Bolsonaro 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *