COVARDIA | MP de Bolsonaro vai condenar os trabalhadores à fome

por Combate – Corrente Sindical

Imagem: Reprodução/Facebook @combatesindical

Em meio a uma pandemia que segue fora de controle, o governo Bolsonaro publicou neste domingo a MP 927 que prevê a suspensão do contrato de trabalho por 4 meses. Isso significa que os trabalhadores poderão ficar 120 dias sem receber salário levando o país a um caos ainda maior.

Presente para os empresários e confisco do salário dos trabalhadores

Bolsonaro mais uma vez mostra seu caráter patronal e desumano. A Medida Provisória editada pelo presidente é completamente absurda e joga nas costas dos trabalhadores a conta da atual crise econômica, agravada brutalmente pela pandemia do coronavírus.

Com a MP de Bolsonaro, os grandes empresários, ricos e com enormes reservas econômicas, mantém o seu capital o mais intacto possível. Para garantir isso, o governo vai condenar milhares de trabalhadores à fome, miséria e ao desespero. As contas dos trabalhadores como aluguel, luz, água, comida, seguirão existindo. Porém o salário, não. Para piorar a suspensão do contrato pode ser feita na forma de acordo individual entre patrão e empregado sem a participação do sindicato.

Além disso, esse presente de Bolsonaro aos empresários permite que todas as empresas adiem o pagamento do FGTS durante os próximos meses.

Que os ricos paguem pela crise! Suspender imediatamente o pagamento da dívida pública!

A dívida pública leva R$2,5 bilhões por dia do país. Quem enriquece são os de sempre: banqueiros e grandes empresários. A crise econômica do coronavírus deve ser paga pelos ricaços, que acumularam milhões nos últimos anos nas costas dos trabalhadores. Não aceitamos que a conta da crise seja paga pelos trabalhadores e pelo povo pobre. Não aceitamos mais desemprego, fome e miséria. Se a MP de Bolsonaro for aplicada, teremos milhões de trabalhadores condenados à fome e a miséria e sendo desalojados de suas casas.

Por isso é preciso imediatamente parar o pagamento da dívida, para construir hospitais, comprar leitos, contratar profissionais da saúde, garantir salários e de fato ter uma política de combate a disseminação do coronavírus.

Bolsonaro, Mourão e nenhum governador apontam uma saída para a crise!

Bolsonaro é um irresponsável que dia a dia com suas declarações deixa claro que não se importa nada com a vida dos trabalhadores. Se morrerem centenas de milhares de trabalhadores na atual pandemia, o governo realmente não vai se importar. Segue insistindo que qualquer medida de fechamento de comércios e fábricas “prejudica” o país. Enquanto isso, na vida real, as mortes aumentam a cada dia e o número de infectados se multiplica brutalmente.

Assim como Bolsonaro, todos os governadores (Dória, Witzel, Helder Barbalho, Eduardo Leite, etc.) não tem um plano em defesa da vida dos trabalhadores. Por esse motivo, nas ruas de todas as cidades do país, nos transportes, ainda vemos muita gente nas ruas, pois muitos ainda são obrigados a trabalhar e nenhum governante quer enfrentar o grande empresariado garantindo que os trabalhadores fiquem em casa e mantenham seus salários e empregos.

Por uma Greve Geral em defesa da vida!

É preciso parar a produção. O país deve funcionar somente com o que é essencial. Somente saúde, segurança e produção de alimentos e insumos básicos. Os transportes devem estar a serviço disso e devem reduzir drasticamente a sua circulação.

Estamos com a CSP-Conlutas em defesa da vida da classe trabalhadora. Caso não haja uma ação rápida dos governos, as centrais sindicais majoritárias (CUT, Força, CTB, UGT) devem convocar uma paralisação geral no país, para enfrentar a política de Bolsonaro, Mourão, Guedes e dos governadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *