VENEZUELA | Repudiamos as medidas intervencionistas anunciadas pelo governo Trump

Por Partido Socialismo e Liberdade – PSL Tradução Pablo Andrada

No dia 26 de março, o procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, apresentou queixa por narcotráfico e patrocínio do terrorismo, contra Nicolás Maduro tanto quanto Diosdado Cabello e outros hierarcas do governo chavista. A medida inclui o oferecimento de recompensas pelos dirigentes do governo Nicolás Maduro, que oscilam entre 10 e 15 milhões de dólares.

O Partido Socialismo e Liberdade repudia categoricamente essas medidas intervencionistas acordadas pelo governo imperialista e ultraconservador de Donald Trump. Rejeitamos essas medidas do imperialismo ianque sem conceder o mínimo apoio ao governo anti-operário e repressivo de Maduro, que está de joelhos para o capital transnacional, particularmente no setor de petróleo, e paga pontualmente a dívida externa. Durante anos, enfrentamos o chavismo na Venezuela. E acreditamos que deve ser o povo e as trabalhadoras e trabalhadores venezuelanos que, com sua mobilização, devem tirar este governo que tem levado o povo trabalhador a receber salários de fome, que destruíram os serviços públicos e têm saúde pelo chão, num momento em que o país está enfrentando a disseminação do coronavírus no mundo.

Os Estados Unidos continuam se comportando como se fossem Polícia e Juiz do mundo, assumindo uma atribuição que ninguém lhe conferiu. Põe preço nas cabeças dos governantes de outros países como se acreditasse que ainda estão no extremo oeste do século 19 na América do Norte. O imperialismo ianque não tem o direito de interferir nos assuntos internos de nosso país ou de qualquer outro. Somente o povo venezuelano pode decidir autonomamente o destino do país e de Maduro.

Essas medidas anunciadas pelo governo imperialista de Trump buscam desviar a atenção para o avanço da pandemia nos Estados Unidos, um país que tem se tornado, segundo a OMS, no novo epicentro do coronavírus.

Trump tenta recuperar sua imagem bastante deteriorada como consequência do tratamento errático e irresponsável da crise de saúde em seu país. Ele sabe que a pandemia terá consequências na economia norte-americana, o que sem dúvida afetará suas expectativas de reeleição e, com essa medida de efeito tenta recuperar pontos perdidos na corrida presidencial.

O governo dos EUA está aplicando sanções econômicas à Venezuela desde o início do ano passado, como parte de sua estratégia para derrubar o governo Maduro por qualquer meio, incluindo um golpe de Estado, como tentou em 2019, apoiando as ações de Juan Guaidó (candidato opositor) e os partidos patronais e partidos pró-imperialistas. Nosso partido, o PSL, tem rejeitado todos os tipos de interferência seja dos Estados Unidos, a China, a Rússia ou qualquer outro país; bem como à oposição patronal encabeçada pelo Guaidó, ajoelhados todos ao imperialismo norte-americano.


Originalmente postado por Partido Socialismo e Liberdade – PSL em  27 de março de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *