Revista Correspondência Internacional — Nº44 | EDIÇÃO DIGITAL

Imagem: Reprodução/ Facebook @cstpsol

Olá,

nessas semanas de pandemia estivemos juntos nos momentos difíceis do distanciamento social e nas batalhas das categorias por licença remunerada e quarentena, nos organizando para bater panelas pelo Fora Bolsonaro, apoiando greves como a dos trabalhadores da Cherry.

Estamos juntos na campanha “A vida acima da dívida” contra o favorecimento dos banqueiros. Agora estamos solidários aos trabalhadores da Saúde de Belém que protestaram exigindo condições de trabalho. A luta evidentemente continua e precisamos seguir organizados.

Para você que acompanha nosso site e redes sociais, recebe o boletim eletrônico e também acredita que é necessário uma oposição combativa, classista e socialista temos uma novidade:

Lançamos a revista Correspondência Internacional da UIT-QI (veja a apresentação e sumário logo abaixo) com artigos sobre a pandemia, análises e propostas de militantes que estão na linha de frente da luta chilena, das batalhas da esquerda peruana, das lutas contra o governo da falsa esquerda no Estado Espanhol e na da construção da FIT na Argentina, além de outros temas.

Para manter nosso funcionamento, seu apoio é fundamental, divulgando nossos textos e nosso boletim. Hoje precisamos também de sua contribuição financeira. A nossa revista, com um conteúdo exclusivo e em formato digital, será vendida para que possamos arrecadar fundos para manter nossa organização.

A CST (Corrente Socialista dos Trabalhadores – bloco radical do PSOL) precisa se autofinanciar pois não aceitamos depender de banqueiros, patrões ou da mídia burguesa. Nossa independência política, credibilidade e compromisso com a classe trabalhadora depende desse financiamento coletivo. Por isso pedimos seu apoio adquirindo nossa revista no valor simbólico de R$ 5. Aos que possam colaborar com algo a mais, solicitamos uma contribuição solidária de R$ 10 ou R$ 20 ou a quantia que você definir. Sabemos que a crise afeta nossos salários e muitos de nós estamos com orçamento apertado, mas sem organização coletiva não podemos lutar contra o ajuste fiscal do governo e da patronal e muito menos exigir medidas de contenção ao Covid-19.

Para colaborar, no momento, entre em contato por meio de nossa páginas via mensagem direta ou com um/a de nossos/as militantes. O pagamento pode ser feito por meio transferência eletrônica e depósito.

facebook.com/cstpsol

instagram.com/juventudevamosaluta/


 

Correspondência Internacional — No. 44
Junho 2020, UIT-CI

Apresentação

Esta nova edição da Correspondência Internacional tem o seu centro na rebelião popular do povo chileno. Desde do dia 18 de outubro de 2019, há um antes e depois no Chile. “Não são 30 pesos, são 30 anos” foi a expressão popular com a qual as massas mobilizadas responderam a Piñera e a toda a antiga direção política burguesa do país. A luta foi além da reivindicação contra o aumento do metrô e foi contra todo o modelo econômico capitalista e o regime herdado do ditador Pinochet.

A mobilização não acabou. Em pleno março de 2020, foram registrados muitos panelaços nas varandas das casas em cidades populosas como Santiago, Valparaíso e Concepción. Piñera constatou o repúdio à sua figura com duros cânticos e gritos que se espalharam pelos estádios de futebol e eventos musicais, como o festival de Viña del Mar.

A Rebelião no Chile é parte de uma nova onda de mobilizações e protestos internacionais contra os projetos de ajustes do imperialismo, das multinacionais e do FMI. As lutas dos trabalhadores, da juventude e populares na França, Líbano, Iraque e no Oriente Médio também são apresentadas nesta edição.

O sistema capitalista-imperialista ainda é incapaz de superar a crise econômica profunda aberta em 2007/08. O súbito aparecimento da epidemia do coronavírus é também uma expressão desse declínio do capitalismo. O crescimento da pobreza, a superlotação, as mudanças ambientais e o colapso dos sistemas de saúde pública do mundo são o terreno fértil para o surgimento e desenvolvimento de antigas e novas doenças. Por outro lado, a crise econômica capitalista pode ser agravada pelos efeitos do coronavírus sobre a economia. O imperialismo e os governos capitalistas vão procurar continuar a descarregar as consequências da crise sobre o povo com novos planos de exploração. As rebeliões no Chile, na França, no Líbano, no Iraque, na Palestina e outros protestos sociais, que estão crescendo no mundo, mostram que a luta vai continuar.

Sumário

Chile

Uma revolução em curso | pag. 2
A constitução de Pinochet | pag. 3
“Não são 30 pesos, são 30 anos” | pag. 6
Assembleias territoriais:
os verdadeiros organismos de luta | pag. 8
Os números da repressão | pag. 10
O papel das mulheres na luta do povo chileno | pag. 11
Entrevista: “Por uma nova alternativa política” | pag. 13
Chile e a consigna da Assembleia Constituinte | pag. 15

França

A luta contra a reforma da previdência continua | pag. 16
A crise política e social se aprofunda | pag. 19

Coronavírus

Coronavírus, saúde e capitalismo | pag. 21
A conexão chinesa | pag. 23
A crise mundial do capitalismo | pag. 24
Chamado Internacional | pag. 26

Iraque

Da praça Tahir de Bagdá | pag. 29

Oriente Médio

Entrevista: “Devemos dar uma perspectiva para as classes trabalhadoras em um quadro internacionalista, e vinculá-la as questões de exploração e opressão” | pag. 31

Líbano

No Líbano continua a “revolução de outubro” | pag. 33

Palestina

O “acordo” de Trump-Netanyahu: o roubo do século | pag. 38

Peru

As eleições no Peru mostram a crise do regime | pag. 41
O reconhecimento de Enrique Fernández Chacón, deputado nacional | pag. 44

Estado Espanhol

Podemos: fim do ciclo | pag. 45

Rússia

Putin é um progressista? | pag. 47
Os Oligarcas russos na base do roubo de empresas estatais | pag. 48
A restauração capitalista no maior país do mundo | pag. 51
Rússia um país subimperialista | pag. 52
Noticiário | pag. 53


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *