Vidas negras importam! Justiça para Miguel!

Comissão de Mulheres da CST

Ontem, o garoto Miguel de apenas 5 anos, foi morto após cair do 9º andar de um prédio de Recife. A patroa de sua mãe, o colocou sozinho dentro do elevador, para que a criança fosse sozinha atrás da mãe, que a mando da mesma, tinha ido passear com os cães. Incomodada com o choro da criança, Sari Gaspar Corte Real, esposa do prefeito de Tamandaré, não acompanhou a criança até o local onde sua mãe estava, apenas colocou-o no elevador, deixando uma criança de 5 anos à própria sorte.
A morte de Miguel escancara as contradições de raça, gênero e classe no Brasil, que se acentuam na pandemia. A mãe de Miguel, Mirtes Renata Souza, mulher, negra e trabalhadora doméstica, foi obrigada por sua patroa branca e rica a trabalhar mesmo durante a pandemia, tendo que levar seu filho de 5 anos pro local. Sari foi autuada por homicídio culposo, mas pagou fiança de R$20 mil e responderá em liberdade. Por ser da alta sociedade os meios de comunicação não revelaram o nome da patroa, fato que gerou indignação.
“Se fosse eu, meu rosto estaria estampado, como já vi vários casos na televisão. Meu nome estaria estampado e meu rosto estaria em todas as mídias. Mas o dela não pode estar na mídia, não pode ser divulgado”, disse Mirtes em entrevista.
Assim como Mirtes, diversas outras mulheres trabalhadoras domésticas, estão sendo obrigadas a trabalhar nessa pandemia, porque seus patrões não querem abrir mão de seu conforto e o governo não paga o que deve aos trabalhadores.
Mais uma criança negra e pobre é morta por negligência e abandono – não de sua mãe, mas do Estado e dos patrões. Em meio a pandemia, Bolsonaro não faz o óbvio e humano: decretar quarentena geral e pagar o auxílio emergencial. Dessa forma, força as pessoas mais vulneráveis a sair de casa para poderem se alimentar, se arriscando todos os dias.
É necessário irmos as ruas exigir justiça por Miguel e também por João Pedro, Ágata e tantas crianças negras que são mortas por essa política violenta do estado, que se não de fome, mata por negligência, por descaso e por fuzil.
Vidas Negras Importam!
Paremdenosmatar!

Quarentena Geral Já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *