ISRAEL | Vidas palestinas importam!

Por: Unidade internacional de trabalhadores (UIT-QI). Traduzido por: Pablo Andrada

Mobilização em Tel Aviv contra o pacto para anexar a Cisjordânia

Em meio a uma onda de mobilizações antirracistas e contra a repressão em todo o mundo devido ao assassinato de George Floyd nos Estados Unidos, em Israel milhares foram às ruas contra o acordo assinado entre o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o presidente estadunidense Donald Trump para anexar Cisjordânia a Israel. A previsão é de que no próximo mês de julho, com o propósito de continuar avançando na ocupação sionista do Estado racista e fascista de Israel, se dê início ao processo de anexação de grande parte do território ocupado desde 1967.

No último sábado 06 de junho, milhares de manifestantes marcharam pela cidade de Tel Aviv, capital de Israel, diante das repetidas declarações feitas por Netanyahu acerca de iniciar o processo de ocupação. Esse processo nasceu a partir do apoio imperialista de Trump no chamado “Acordo do Século”, em que os Estados Unidos apoiariam o avanço sionista na Cisjordânia e no rio Jordão e também reconheceriam Jerusalém como capital de Israel.

Esse avanço com apoio imperialista significa um aprofundamento do massacre deliberado que há tempo o estado racista de Israel está realizando no território palestino, que inclui a expulsão de centenas de milhares de palestinos e retiraria o caráter de refugiados a outros 6 milhões.

Nas ruas, cerca de 6 mil manifestantes gritaram “Não à anexação, não à ocupação”, enquanto seguravam faixas com a frase “Palestinas lives matter” (Vidas palestinas importam), na linha da popular frase antirracista que foi viralizada na onda de mobilizações por George Floyd, “Black lives matter”.

Nós, da UIT-QI (Unidade Internacional dos Trabalhadores – Quarta Internacional), insistimos no repúdio e rejeição deste novo avanço do imperialismo ianque e do Estado sionista, racista e fascista de Israel sobre o povo palestino. É imprescindível levar a solidariedade internacional com o povo palestino, promovendo a luta pela dissolução do Estado racista de Israel e por um Estado único, laico, democrático e não racista. Abaixo o acordo entre Trump e Netanyahu!

Compartilhamos com vocês a declaração da UIT-QI diante do “Acordo do Século” entre Trump e Netanyahu “Não ao acordo do século de Trump contra o povo palestino!”

 

Leia também: http://cstpsol.com/home/index.php/2018/07/27/israel-uma-historia-de-teocracia-racismo-e-colonizacao-da-palestina/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *