Jornadas de 27/08: Em apoio a rebelião do povo dos Estados Unidos

Publicado originalmente no Jornal El Socialista (Argentina) edição 475
Tradução: Manu Sousa


A partir do que foi votado na Conferência Latino-Americana e dos Estados Unidos, convocado pela FIT-Unidade da Argentina, foram realizadas diversas atividades em vários pontos do continente em apoio a rebelião anti-racista desencadeada em Maio nos Estados Unidos e que se estendeu com apoio por diferentes países do mundo.

Desde as massivas mobilizações nos Estados Unidos, logo após o brutal assassinato de George Floyd pela polícia de Minnesota, mais uma vítima da ação repressiva e abusiva das forças policiais contra a comunidade negra, milhares de pessoas no mundo se solidarizaram e apoiaram com mobilizações e ações em vários países. É nesse marco que a Unidade Internacional dos Trabalhadores – Quarta Internacional lançou uma campanha de solidariedade ao povo dos Estados Unidos e por justiça para Floyd. (https://bit.ly/3ltvtcH).

A rebelião anti-racista tem tido continuidade, com suas desigualdades, nos diferentes estados dos Estados Unidos. Em alguns estados as manifestações intensificaram ao ponto de o presidente Donald Trump intervir com as Forças Armadas, como em Portland, Seattle, Chicago, entre outros. Os protestos aumentam com cada novo caso de ato racista realizado pela polícia, como no recente assassinato de Jacob Blake, um jovem negro que foi morto com 4 balas pela polícia de Winskonsin. A ação da polícia foi tão chocante como no caso de Floyd. Os PlayOffs da NBA foram suspensos em solidariedade: “até que o racismo no país acabe”, disseram os jogadores e os representantes dos times. Juntou-se à  NBA as ligas de Futebol e Basebol, realizando intervenções semelhantes.

Por fim, com base no que foi definido na Conferência, as organizações que participaram realizaram atos em diferentes pontos do continente, durante esse novo ascenso da rebelião estadunidense, exigindo justiça para George Floyd y Jacob Blake e para todas as vítimas do racismo e do aparato policial.

Na Argentina, a FIT-Unidad mobilizou e realizou um ato na Câmara de Comércio dos Estados Unidos, onde participou o Izquierda Socialista, partido membro da FIT-U e sessão da UIT-CI. Depois se seguiu em uma mobilização até a Plaza de Mayo, no marco das marchas contra o “Gatilho Fácil”¹, onde os familiares das vítimas de assassinatos policiais se mobilizam todos os anos. No Brasil, em conjunto com a CSP-Conlutas, MRT, LS, entre outros, a CST-PSOL, sessão da UIT-CI, participou nos atos de São Paulo e Rio de Janeiro, em apoio a rebelião anti-racista e contra Trump e Bolsonaro. Da mesma forma, no México, na Embaixada dos Estados Unidos que fica na Cidade do México, foi também realizado um ato internacionalista em repúdio aos ataques racistas, repressivos e criminosos da polícia, e em apoio aos trabalhadores, migrantes e toda a comunidade negra dos Estados Unidos – que continua se mobilizando. Ali estiveram presentes os dirigentes e militantes do Movimiento al Socialismo, seção da UIT-CI, junto às organizações: MTS, AR e LUS.

¹

<https://www.brasildefato.com.br/2018/12/06/gatilho-facil-governo-argentino-autoriza-policia-a-atirar-pelas-costas/>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *