Toda solidariedade à Carolina Iara. Investigação já!

A companheira Carolina Iara, co-vereadora pelo PSOL em São Paulo, sofreu um atentado a tiros na madrugada de ontem, dentro de sua própria casa. A camarada e sua família felizmente não se feriram, e o Boletim de Ocorrência na Delegacia de Proteção à Pessoa foi feito, mas é inaceitável que a onda de violência contra parlamentares da esquerda no Brasil siga.

O atentado ocorreu a dois dias do 29 de Janeiro, dia da Visibilidade Trans. O Brasil é o país que mais mata pessoas trans no mundo, e essas pessoas além da violência física a que estão expostas, tem muito mais dificuldade de seguir os estudos e se localizar no mercado de trabalho, justamente por isso cerca de 90% está na prostituição. A transfobia é a responsável pela expectativa de vida de uma pessoa trans/travesti ser de 35 anos, menos da metade da média nacional (75,5 anos segundo o IBGE).

Ademais o genocídio da população negra é cotidiano. Somente em 2018, os negros representaram 75,7% das vítimas de homicídios no Brasil (Atlas da Violência), além de ocuparem os piores postos de trabalho (mais precários e com menores salários). Em poucas semanas completará 3 anos do assassinato da companheira Marielle Franco, sem que os responsáveis tenham sido presos e punidos. Não veremos mais uma companheira ser assassinada!

A Corrente Socialista de Trabalhadoras e Trabalhadores se solidariza com a companheira Carolina Iara! É necessário organizar uma mobilização unitária para exigir investigação e punição aos responsáveis!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *