Fora Todos! Fora Dilma, Cunha, Renan e Aécio! Lula e Dilma devem ser investigados e punidos!

A classe trabalhadora e a juventude abandonaram definitivamente Lula e o PT. O maior símbolo do declínio final dessas velhas lideranças foi visto na raquítica “manifestação”, de um punhado de petistas, em frente à casa de Lula em São Bernardo, no coração do operariado paulista, na hora que a Policia Federal levou o ex-presidente e seus familiares e aliados para depor. Se Lula hoje, finalmente, é investigado pelos crimes de corrupção, a classe trabalhadora já o condenou pela sua traição. Não por acaso os índices de rejeição a Lula batem recordes, sua casa foi alvo dos manifestantes em junho de 2013, e sua candidata obteve péssimos resultados nos maiores centros urbanos da nação em 2014.

O que está acontecendo neste momento com Lula, Dilma e o PT é fruto da política de traição de classe que esse partido e essas lideranças protagonizaram ao longo dos últimos 13 anos. O PT se transformou num instrumento dos capitalistas ao atacar o povo, governar para as empreiteiras, os banqueiros e o agronegócio. Por isso, Lula, Dilma e o PT utilizam os mesmos métodos corruptos que sempre caracterizaram os partidos capitalistas e a falsa democracia em que vivemos. Transformam o Congresso num balcão de negócios, loteiam os cargos públicos e utilizam sua influência para enriquecer pessoalmente. Nada diferente do que fizeram Sarney, Collor e FHC ou os atuais governadores tucanos, como Alckmin. Enquanto isso, os trabalhadores amargam uma forte deterioração em seu nível de vida, resultado de uma brutal crise econômica, superior à da década de 90, de um ataque impiedoso por parte do governo Dilma (PT/PMDB), do PSDB e dos grandes empresários, que tira conquistas históricas do povo trabalhador, mas também aos bilhões desviados dos cofres públicos, bilhões que deveriam ir para saúde, educação, saneamento básico, etc.

A delação premiada do Delcidio do Amaral expõe os esquemas mafiosos por meio dos quais Dilma e Lula chefiam uma verdadeira organização criminosa que está no poder. Por isso, defendemos, além de uma profunda investigação, a punição rigorosa de todos os crimes cometidos desde o mensalão, cuja responsabilidade fundamental é de Lula. O mesmo defendemos para o PSDB de Aécio e seus escândalos em Minas Gerais, São Paulo e outros estados e para o PMDB de Renan e de Cunha no Congresso Nacional, que acaba de se transformar em réu na operação Lava Jato e não tem condições de seguir na presidência da Câmara.

Defendemos a necessidade de fortalecer as lutas em curso, em defesa do salário, emprego, saúde e educação, juntamente com outras mobilizações. É urgente fortalecer e unificar as lutas rumo à greve geral para, com a mobilização operária e popular, barrar os ataques e reformas neoliberais que esses mesmo corruptos tentam aplicar contra o povo e nesse caminho colocar Dilma, Temer, Cunha, Renan e Aécio para fora.

Nesse processo é necessário forjar uma alternativa de classe da verdadeira esquerda e do povo trabalhador, contra o PT e PSDB. Uma alternativa de esquerda para os lutadores do país, como a heroica greve dos professores e estudantes secundaristas do Rio de Janeiro está demonstrando. Neste sentido, a responsabilidade do PSOL, junto ao PSTU e à CSP/Conlutas, Intersindical, PCB, etc. é imensa. De forma alguma pode se confundir com a nefasta direção da CUT que chama à “vigília” em defesa do Lula e contra o golpe. Por isso, nem o dia 13 com os tucanos e nem o dia 31 com o PT, construir um terceiro ato alternativo contra o ajuste fiscal do governo Dilma e dos tucanos e impor o Fora Todos e a punição de todos os envolvidos na corrupção.

Desta forma podemos conquistar um Governo da Esquerda, dos Trabalhadores e do Povo para aplicar um plano econômico alternativo que garanta o fim das demissões, aumento de salários, redução da jornada e um plano de obras públicas na educação e na saúde financiado pela suspensão do pagamento da dívida externa e interna, juntamente com a Petrobras 100% estatal sob controle dos trabalhadores.

04/03/2016
Secretariado da CST / PSOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *