PSOL | Resolução alternativa de conjuntura

No último sábado, dia 11 de fevereiro, ocorreu reunião da Executiva Nacional Ampliada do PSOL, tendo como um dos pontos centrais o debate sobre a situação política. A resolução oficial do partido pode ser lida no site nacional do PSOL.

O texto majoritário foi votado pelos companheiros da US, RZ, Insurgência e APS. Os companheiros do MÊS se abstiveram.

A CST e LS apresentaram um texto alternativo, cujo conteúdo socializamos a seguir. Nosso objetivo é contribuir como uma maior discussão política entre os militantes do PSOL visto que teremos um Diretório Nacional do Partido  no mês de maio. Boa leitura!

 


 

Resolução alternativa de conjuntura

O PSOL orienta aos nossos militantes e diretórios:

1- Fortalecer o caráter internacionalista e anti-imperialista do PSol por meio de campanhas contra a política do governo Trump e do imperialismo norte-americano. Denunciando as multinacionais, tratados diplomáticos, o pagamento dá dívida interna e externa, defendendo a soberania nacional.

2- Organizar nossa intervenção para enfrentar os efeitos da crise econômica e social. Propondo a mais ampla unidade de ação contra a reforma da previdência, trabalhista e demais ataques do governo Temer. Fortalecendo fóruns unitários de luta, dando centralidade as manifestações do dia 8 e 15 de março. Mantendo a batalha pela construção de uma greve geral.

3- Denunciar a corrupção do governo Temer, do PMDB e PSDB. Nenhuma anistia ao caixa 2. Prisão e confisco dos bens dos políticos e empresários corruptos. Expropriar as empresas envolvidas na lava jato. Fora Temer!

4- Manter firme definição do papel retrógrado cumprindo pelo PT e PCdoB no parlamento e nos movimentos sociais: sustentação de Renan, votos no PMDB na Alerj e reunião de Lula com Temer, Serra e FHC no Sírio libanês, bem como sua resistência de unificar as lutas em nosso país é a sua política de não construir a greve geral.

5- Defender os PM’s do Espírito Santo contra qualquer punição, apoiar a luta das esposas e parentes dos policiais e apresentar nossas propostas sobre a segurança pública, o fim dá guerra às drogas. Bem como a exigência de que os PM’s se neguem a reprimir o povo nas periferias e nos protestos sociais.

6- Organizar uma forte campanha nacional em conjunto com o diretório do PSOL do RJ em defesa da CEDAE e contra o pacote de austeridade. Fortalecer a defesa da UERJ e dos direitos dos servidores, nacionalizando a campanha do PSOL Carioca. Organizar uma delegação de dirigente e parlamentares para a próxima manifestação do MUSPE no RJ. Divulgar e fortalecer os calendários de lutas estaduais em curso, como a manifestação de 15/02 em Belém e demais mobilizações, igualmente convocando ativistas e parlamentares do PSOL.

7- Realizar e divulgar iniciativas do partido e de nossas bancadas, a exemplo das ações jurídicas no plano federal, no Rio de Janeiro e Belém. Bem como construir linhas independentes no parlamento seguindo o exemplo do lançamento da companheira Erundina na câmara dos deputados.

 11/02/16

CST e LS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *