15/03: PARAR O PAÍS CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA! FORA TEMER!

Um governo e um congresso corrupto querem roubar o nosso direito à aposentadoria. Esses bandidos que governam o país, apoiados pela grande imprensa e pelos grandes empresários, querem impor um dos maiores ataques contra nossos direitos nas últimas décadas.

A reforma da Previdência (PEC 287/2016) já tramita a todo vapor na Câmara Federal. Uma comissão especial foi instalada e o relator do projeto, deputado Arthur Maia (PPS-BA), parlamentar que teve a sua campanha financiada por fundos de previdência privada, pretende votar o seu relatório até o final de março. Para aprovar esse ataque o governo corrupto de Temer (PMDB) já prometeu verbas e cargos para os deputados na velha política do toma lá dá cá. Ou seja, Temer vai dar dinheiro da população trabalhadora para os deputados corruptos aprovarem o roubo dos nossos direitos.

O dia 15 de março convocado pelas centrais sindicais é um dia muito importante para barrarmos a reforma da Previdência. As centrais e a maioria dos sindicatos devem sair das palavras e partirem para a ação, mobilizando em cada local de trabalho, pois só assim poderemos acabar com essas medidas contra o povo e também com o governo Temer!

Conheça as principais medidas da contrarreforma da Previdência: 

Aumento da idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres 

A PEC propõe igualar a idade mínima para homens e mulheres, que passariam a se aposentar aos 65 anos de idade. Um verdadeiro ataque aos direitos de todos os trabalhadores, em especial ao das mulheres, que enfrentam dupla e até tripla jornada de trabalho. Essa proposta não leva em consideração que a expectativa de vida é diferente dependendo da região brasileira.

Aposentadoria integral somente com 49 anos de contribuição 

Para se ter o direito a aposentadoria integral será preciso contribuir por 49 anos. Ou seja, para o trabalhador se aposentar aos 65 anos terá que começar a trabalhar aos 16 anos, idade escolar, e ter emprego com carteira assinada de forma ininterrupta sem uma única demissão. Tudo isso em um país onde o índice de desemprego é altíssimo. A grande maioria vai morrer sem se aposentar. Os que conseguirem não receberão o benefício de forma integral.

Redução no valor das Pensões 

Pela proposta do governo a pensão por morte deixa de se integral, sendo reduzida para 50%, com acréscimo de 10% por cada dependente menor. Mais uma vez são as mulheres que mais sofrem, pois a grande parte dos pensionistas são mulheres, que na maioria das vezes tem apenas essa renda para sobreviver. Para piorar, o reajuste da pensão será desvinculado do reajuste do salário mínimo o que impedirá qualquer aumento real no valor da pensão. Existem ainda outras medidas que atacam os diretos dos trabalhadores, como o fim do regime especial de aposentadoria para professores; criação de fundos de previdência complementar para todos os estados e o aumento da idade de 65 para 70 anos para que os beneficiários pela Lei Orgânica de Assistência Social e do Benefício Assistencial de Prestação Continuada (BPC) recebam o seu benefício.

Pela continuidade do calendário rumo a greve geral

Para derrotar as contrarreformas previdenciária e trabalhista será necessário darmos continuidade ao dia 15. Somente uma greve geral pode derrubar o corrupto governo Temer e todas as medidas de ataques contra os trabalhadores e para isso as Centrais sindicais tem que convocar uma greve geral para abril unificando todas as categorias. Por isso exigimos que logo após o ato do dia 15 as centrais sindicais chamem uma plenária nacional aberta para discutir a continuidade da luta contra as reformas e o governo Temer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *