Venezuela: Orlando Chirino chama a apoiar a Paralisação de 20 de julho

 

18 de julho de 2017. “O PSL apoia a convocatória a Paralisação da próxima quinta-feira 20/07, desde uma posição independente frente a MUD (Mesa de Unidade Democrática), e com o objetivo de lutar pelo fora Maduro e sua Constituinte fraudulenta”. Desta forma se expressou Orlando Chirino, entrevistado por laclase.info sobre a Paralisação Cívica convocada pela MUD , denominada de “Hora 0”.

“A consulta que se produziu domingo passado foi uma grande mobilização popular que colocou em evidência a disposição de luta do povo. Mais de 7 milhões de pessoas se expressaram contra o governo de Maduro e sua Constituinte fraudulenta e antidemocrática. A paralisação convocada pela MUD, se impôs devido a pressão social, e em certa medida, é uma conquista da mobilização de milhões no domingo, e da rebelião popular que sacode o país há vários messes”, afirmou também dirigente da corrente C-CURA.

O Partido Socialismo e Liberdade (PSL) vem levantando a consigna de “Fora Maduro”, e igualmente vem denunciando que a Constituinte convocada pelo governo é fraudulenta e antidemocrática.

Orlando Chirino vem colocando, que seu apoio a paralisação da próxima quinta, o faz desde uma posição independente da MUD. “Nosso partido não tem nenhum acordo com a proposta de “governo de unidade nacional”, defendida pela MUD, como eixo da paralisação. Estamos por um governo dos trabalhadores e do povo e de todos os setores populares mobilizados”.

O dirigente do PSL chamou a realizar a paralisação levantando um programa distinto do que propõe a MUD, que tem como eixo chamar a um governo de unidade nacional.

“Nosso respaldo a Paralisação o fazemos levantando consignas contra a fome, a repressão e  por um Plano Econômico e Social de Emergência que inclua comida e remédios para todos sem restrições, por reajuste salarial a cada 3 messes de acordo com a inflação, não as demissões e nem “suspensão” nas empresas públicas e privadas, em defesa das liberdades democráticas, liberdade aos presos nas manifestações. Rechaçamos aos tribunais militares que vem sendo utilizado contra os civis presos. Ao mesmo tempo propomos a dissolução da GNB (Guarda Nacional Bolivariana) e de todos os grupos paramilitares, o não pagamento da dívida externa e em defesa do petróleo 100% venezuelano sem empresas mistas nem multinacionais”, agregou Chirino.

Chirino propôs que a Paralisação deva ter continuidade, até que se concretize na saída de Maduro, e para isso o PSL propõe “preparar uma greve geral que tenha como protagonista os trabalhadores, que não seja convocada de forma improvisada e nem imposta por fora dos trabalhadores, que seja sim convocada e organizada democraticamente e de forma autônoma pelos trabalhadores e setores populares desde seus sindicatos e pelos comitês populares que vem se conformando em todos país ao calor das mobilizações”.

“O PSL e nossa corrente sindical C-CURA chama ao Encontro urgente de organizações sindicais, particularmente a Coalisão Sindical, a UNETE, as associações de professores universitários e FAPUV, aos sindicatos dos mineiros, Alcasa, Sirtrasalud Capital, ao setor combativo de SinatraUCV, assim como as organizações populares e estudantis para impulsionar e preparar a  greve geral ”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *