Total apoio a greve dos rodoviários de Belém, Ananindeua e Marituba!

Marcus Benedito – CST-PSOL
Os trabalhadores rodoviários de Belém, Ananindeua e Marituba iniciaram uma forte greve às 00h00 de quinta-feira (19) em resposta a situação de arrocho salarial e falta de condições dignas de trabalho.
Diante das perdas históricas, eles reivindicam reajuste salarial de 10%, aumento de 164 reais no ticket alimentação e o retorno da jornada de trabalho diária para 7h20. Com a Reforma Trabalhista de Temer (PMDB), os rodoviários passaram a trabalhar 1h35 a mais e não tiveram aumento de salários, pelo contrário, perderam as horas extras e adicional noturno. Por isso também estão exigindo a implantação de ponto biométrico, para provar que trabalham mais e ganham menos.
A justiça tem lado e não respeita os trabalhadores
Na tarde desta sexta-feira (20), a desembargadora Formigosa, em uma atitude completamente submissa aos empresários de ônibus, declarou a greve abusiva, determinou multa de R$ 10 mil aos sindicatos e de forma criminosa autorizou a patronal a demitir paredistas e a contratar substitutos. Repudiamos essa postura da justiça, que mais uma vez mostra seu caráter burguês ao tentar criminalizar a luta dos rodoviários.
Enquanto que a gente assiste a imprensa divulgar os escândalos de corrupção e as relações espúrias dos empresários com os governos de Belém, da capital e estado do Rio de Janeiro, fundamentalmente com as concessões fraudulentas para exploração de transporte coletivo e o propinoduto para que Zenaldo, aqui e Cabral/Pezão lá, garantissem sempre o aumento  abusivo das passagens, assin como passassem a explorar novas linhas, como o caso do BRT em Belém. Inclusive o Ministério Público do Estado detectou um superfaturamento na ordem de R$ 47 milhões nas obras do BRT. Verdadeiro absurdo.
Basta de baixos salários, exploração e insegurança!
Os rodoviários deram uma demonstração de forças nesta sexta-feira. Desafiando a determinação da justiça e a ameaça de demissão, fecharam por diversas horas do dia a BR 316 e demonstram que não vão recuar. É uma afronta as condições de trabalho estes trabalhadores estão submetidos: carros velhos, sujos, cheios de insetos, com problemas mecânicos, sem tacógrafo, expondo aos usuários e aos próprios trabalhadores a perigos e acidentes. Este ano vários rodoviários foram mortos em assaltos, que ocorrem todos os dias. É um absurdo que alguém saia para trabalhar z deixe a família em casa, saia de madrugada rumo a garagem e não saiba se vai voltar vivo.
Responsabilizamos os patrões, que só pensam no lucro, com os rumos dessa greve. Assim como são responsáveis pelas péssimas condições de trabalho e salário a que os rodoviários estão passando. Responsabilizamos também o governo Jatene (PSDB) pelas mortes de companheiros rodoviários e pela constante violência a que estão submetidos.
É preciso também cobrar do sindicato de Belém e do SINTRAM, ligados a CTB, que sejam consequentes na greve. Diferentemente do que eles diziam, os trabalhadores estão mostrando muita disposição de luta, coragem e combatividade.
Os sindicatos, todos os anos, vendem a data base da categoria e os abandonam a própria sortez como estão fazendo agora. É preciso respeitar a decisão da base, que decidiu radicalizar!
É preciso também que a CSP Conlutas, Intersindical, sindicatos de luta, associações, movimentos populares e estudantis cercam de solidariedade esta luta.
Basta de ataques e de criminalização da greve!
Os rodoviários exigem ponto biométrico já! Rajuste de 10% no salário, aumento para 700 reais no ticket e fim da intrajornada!
Somos todos rodoviários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *