Chuvas causam caos no Rio: prefeito Crivella é o grande responsável

 

As chuvas castigaram a cidade do Rio de Janeiro desde o final da tarde de ontem. Causando diversos pontos de alagamentos, deslizamentos de encostas, queda de árvores e buracos nas ruas. Até o momento foram encontradas sete vítimas fatais, sendo mais uma vez os moradores das favelas cariocas os mais prejudicados. Na favela da Babilônia , na Zona Sul, a sirene de alerta não soou. O resultado foi duas mortes.
Esse ano, o prefeito Crivella deixou de investir em obras de drenagem urbana e contenção de encostas. Em 2017 cortou em quase 80% o investimento em prevenção de deslizamentos e enchentes. A previsão no orçamento para essas obras era de R$ 342 milhões, mas o prefeito Crivella investiu apenas R$ 41 milhões. Em 2018, dos R$ 388 milhões previstos, apenas R$ 125 milhões foram aplicados.
Não há dúvidas quanto à responsabilidade do prefeito Crivella pela situação caótica da cidade do Rio de Janeiro. Sem investimentos em prevenção, a situação da cidade é cada vez mais vulnerável diante das chuvas.
Da mesma forma vimos a omissão do governo do Estado e do governo federal , calados diante da tragédia que abate a cidade. Todos os anos, tragédias como essa se repetem e vidas são perdidas na cidade do Rio de Janeiro. Mesmo assim a prefeitura continua sendo negligente, sem investir o necessário em urbanização, drenagem, canalização, contenção de encostas e monitoramento das áreas de risco.
Neste momento de dor nos solidarizamos aos familiares das vítimas das chuvas. Ao mesmo tempo, responsabilizamos o governo federal, o governo estadual e a Prefeitura, pela situação calamitosa da cidade afetada pela chuva, pois são os responsáveis imediatos pela falta de verbas para os locais que estão sob as águas.
É necessário exigir do governo federal, do governo estadual e da prefeitura que sejam atendidas todas as demandas das famílias afetadas. A prefeitura tem que indenizar imediatamente todas as vítimas da chuva. Da mesma forma exigimos que, de forma emergencial, sejam garantidas as verbas necessárias para a prevenção de enchentes, sob o controle da população, e que maiores investimentos nas áreas sociais como Saneamento e Habitação sejam tratados como prioridade .

9/4/2019

CST/PSOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *