Personalidades do esporte e da cultura mundial condenam o racismo

Por Izquierda Socialista, seção da UIT-QI na Argentina. Traduzido por: Lucas Schlabendorff

O assassinato de George Floyd teve impacto mundial. Referências da cultural participaram do movimento simbólico nas redes sociais chamado Blackout Tuesday, um apagão das redes sociais contra os crimes racistas. Os esportistas não foram exceção. Na terça-feira, 2 de junho, Lionel Messi publicou uma foto preta e utilizou as hashtags #BLM e #blackouttuesday. A primeira é a abreviatura de Black Lives Matter, em português Vidas Negras Importam.

Outros grandes esportistas participaram dessa causa: Kylian Mbappé, Neymar, Stephen Curry da NBA, o ex atleta jamaicano Usain Bolt, Michael Phelps, nadador norte-americano e esportista olímpico mais condecorado de todos os tempos, e o campeão mundial de boxe Floyd Mayweather, entre outros.

Gregg Popovich, ex treinador dos Spurs e da seleção de basquete dos Estados Unidos, enfrentou Donald Trump: “covarde”, “idiota transtornado” e “sem cérebro”. O ex Chicago Bulls e atual treinador dos Warriors, Steve Kerr, publicou em sua conta no Twitter: “Isto é um assassinato. Asqueroso. É sério. O que diabos está acontecendo conosco?” O famoso Kareem Abdul-Jabbar, maior pontuador da história da NBA e possuidor de seis anéis de campeão, publicou no último domingo uma duríssima coluna no Los Angeles Times, onde denunciou o “racismo institucional”.

Na goleada de 4-1 do Borussia Möenchengladbach contra o Union Berlim no campeonato alemão, o futebolista ítalo-francês Marcus Thuram comemorou um dos deus gols se ajoelhando no gramado. A imagem viralizou em segundos e a própria conta oficial do clube no Twitter publicou com o título “Não necessita explicação”. Enquanto isso Jadon Sancho exigiu justiça em uma de suas comemorações dos três gols que fez na goleada do Borussia Dortmund contra o Paderborn, com uma camiseta que dizia “Justiça para George Floyd”. O time de futebol inglês, Liverpool, também se somou ao repúdio.

Celebridades da cultura também são parte do repúdio. A cantora Beyoncé destacou que não se deve “normalizar essa dor”. “Todos vimos seu assassinato à plena luz do dia”, disse a estadunidense na rede social Instagram. Madonna também enviou uma mensagem de apoio para a família de Floyd e aos milhares de estadunidenses que saíram para protestar nas ruas em repúdio ao assassinato. “As pessoas estão marchando por todo os Estados Unidos protestando contra o brutal assassinato de George Floyd e tantos outros. E temos o direito de fazer isso como estadunidenses”, disse a nova-iorquina. 

A jovem cantora Billie Eilish também se somou: “Se todas as vidas importam, por que matam os negros por serem negros? Por que os imigrantes são perseguidos? Por que se dá para os brancos oportunidades que não têm as pessoas de outras raças?”

A lista se completa, entre outros, pela atriz e apresentadora Oprah, a atriz Mia Farrow, o popular comediante sul-africano Trevor Noah, Cardi B, Ariana Grande, John Boyega, Justin Bieber, Demi Lovato, Jamie Foxx, Viola Davis, Lupita Nyong’o, Ava DuVernay e Janelle Monáe. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *