Fortalecer a greve para derrotar os ataques do governo Bolsonaro/Floriano

Combate – Classista e pela base Oposição – Correios


Com muita fi­rmeza segue a greve dos trabalhadores dos correios. Greve que responde a brutalidade de Bolsonaro/Floriano de retirar 70 cláusulas do acordo coletivo de trabalho e que através de ocupações, piquetes e atos de rua mostra uma disposição a altura dos ataques do governo, que a cada dia tenta endurecer contra os trabalhadores da empresa, demonstração da sua intransigência em não negociar. O objetivo desse ataque é avançar na privatização dos correios uma agenda que é permanente de Bolsonaro desde o tempo da eleição e que segue sendo uma das suas políticas centrais.

 

Uma greve que deve ser muito apoiada

A greve dos correios enfrenta diretamente os projetos de Bolsonaro de austeridade ­fiscal e privatização. Uma greve bastante dura que ocorre em meio a pandemia por total responsabilidade do General Floriano, Bolsonaro e STF. Mesmo diante desse contexto a base da categoria mostra disposição. Infelizmente a disposição da base não convence as cúpulas das centrais sindicais (CTB, CUT, UGT) a se jogarem com toda força e apoiar a greve como deveriam. Não colocam a sua ampla base de sindicatos na linha de frente junto com as entidades sindicais dos trabalhadores dos correios.

 

SINTECT-RJ tem que mudar de postura

Nem mesmo diante de um governo de extrema direita as direções sindicais atuam com o objetivo de enfrentar o governo. Isso acontece também na nossa. Inicialmente a FINDECT-CTB orientou os trabalhadores a con­arem no STF e aguardarem o resultado do julgamento, sendo que não era a sua política a greve.  Mesma linha recuada que eles tentam aplicar em outras categorias. Depois teve que mudar de postura e convocar uma greve que tem uma condução desastrosa com os diretores do sindicato do Rio orientando a categoria a não fazer piquetes e boicotar as atividades organizadas pela oposição. Atuam contra a unidade dos sindicatos e federações e nem sequer um comando de greve existe, sendo os calendários decididos burocraticamente. Essa política contribui para o desmonte do movimento paredista e não o seu fortalecimento.

 

Fortalecer e ampliar a greve

O fundamental é fortalecer a greve para derrotar os ataques apostando na força da categoria e não na justiça para assim sairmos vitoriosos desse processo. É necessário ampliar a greve. Você que ainda não entrou está na hora de ingressar no movimento paredista. O julgamento do dissídio foi marcado para o dia 21/09, mas não podemos con­ar que sem greve poderemos derrotar a proposta da empresa. A greve pode sair vitoriosa, mas para isso é fundamental termos uma direção sindical que enfrente os ataques do governo e mobilize a categoria permanentemente. A radicalidade da base demonstra que a disposição das direções não é a mesma da base. Nesse sentido a CSP conlutas vem atuando na greve buscando o fortalecimento da greve e a uni­ficação com outras categoriais colocando a direção da central e os sindicatos ­liados a serviço dos piquetes, atos e ocupação sem vacilar na hora de construir a mobilização.

 

Defendemos:

Fortalecer a greve através de atos, piquetes e agitações nas unidades.

Nenhuma con­ança no TST Por assembleias diárias e presenciais.

Chega de imobilismo da direção do sindicato

Que o SINTECT-RJ apoie o ato do dia 17/09 no centro do Rio e organize uma caravana para Ocupa Brasília.

 

Entre em contato conosco faça a sua denúncia e obtenha informações

fb\combatesindical email: combatecorreios@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *